segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Desafiando o tempo

video

sábado, 14 de agosto de 2010

Garantindo o lanche

Boa ideia

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

O maior encontro de Fuscas do Norte e Nordeste

Clique na imagem para ampliar

O Planeta Fusca realizará seu 2º encontro de Fuscas e derivados com uma novidade.

Além da presença dos carros do Museu do Automóvel do Ceará, abrimos uma ala especialmente para veículos multi marcas antigos.

O evento será realizado no Kartódromo Internacional Júlio Ventura no Eusébio, região metropolitana de Fortaleza no dia 09 de Outubro de 2010 (Sábado), começando as 15 horas e terminando após a meia noite.

Para quem não conhece, o Kartódromo Internacional Júlio Ventura é um dos ou o maior e mais bem estruturado do Brasil. Pista e gramados impecáveis com vários banheiros espalhados por toda área com iluminação noturna magnifica e amplo estacionamento fechado para visitantes. Já o clima é outro atrativo, bastante ventilado e chegando a fazer frio a noite.

Contaremos com estrutura de restaurante, bares, lanchonete, DJ tocando durante todo o evento, mercado de pulgas, peças e acessórios raros, vários antiquários, venda de miniaturas, chaveiros, camisetas e souvenirs em geral, brindes, bingos, lindas gatas no lava jato (só para Fuscas), troféus para os melhores carros em sua categoria e muitas outras surpresas.

A inscrição é R$ 30,00 (Trinta Reais) por carro com direito a 1 adesivo, 1 camisa, 1 ficha p/ colocar no carro, concorrer aos bingos e outros brindes.

A visitação é grátis.

Lembramos que as vagas são LIMITADAS!

Mais informações:

Fones: (85) 8790.2677 ou 9945.0194
E-Mail:
fredguilhon@hotmail.com

O endereço do Planeta Fusca é:

www.planeta-fusca.blogspot.com

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Voyage Furtado


Amigos leitores. Foi Furtado o Voyage do filho do meu amigo Antigomobilista Paulo Fiuza, Ramon Fiuza, ontem (08 de Junho de 2010).

O carro havia sido estacionado às 09:15h na Rua Francisco Holanda, em frente ao nº 843, bairro Dionísio Torres, próximo à Assembleia Legislativa do Estado do Ceará em Fortaleza.

Ao regressar para o local por volta das 13:30h, seu filho constatou que o carro havia sido furtado.

Dados do veículo:

Voyage, ano 1989, azul escuro, álcool, placas HUG-6535 Fortaleza - Ceará.

Caso tenham alguma notícia podem entrar em contato com os telefones:
(85) 9608-3141 (Paulo Fiuza)
(85) 9924-1582 / 3253-2316 (Ramon Fiuza)
(85) 9945-0194 (Fred Guilhon)
E-Mail: fredguilhon@hotmail.com

Por favor, divulguem!!!



sexta-feira, 28 de maio de 2010

Algumas coisas que você não sabia

01 - Se todos os cachorros quentes consumidos pelos americanos em 1 ano fosse enfileirados, poderia ser feita uma “ponte” que daria duas vezes a distância da Terra até a Lua.

02 - O Sol libera mais energia em um segundo do que tudo que a humanidade já consumiu em toda a sua existência.

03 - Quando você for ao Mc Donalds, preste atenção na maneira com que os atendentes colocam a comida na sua bandeja: o “M” estará sempre virado para o seu lado.

04 - Ratos não vomitam.

05 - Para algumas pessoas, comer aspargos deixa a urina com cheiro diferente.

06 - Está provado que o cigarro é a maior fonte de pesquisas e estatísticas.

07 - Os chipanzés e os golfinhos são os únicos animais capazes de se reconhecer na frente de um espelho.

08 - O material mais resistente criado pela natureza é a teia de aranha.

09 - Na França é proibida a venda de bonecos que não tenham rostos humanos, como ETs.

10 - As moscas domésticas vivem apenas 2 semanas.

11 - Astronautas não podem comer feijão antes de suas viagens, pois os gases podem danificar as roupas espaciais.

12 - Meninos com nomes estranhos geralmente tem mais problemas mentais que as meninas.

13 - Os russos atendem ao telefone dizendo “Estou ouvindo”

14 - Até 1967 o uso do LSD era permitido na Califórnia.

15 - 15% das mulheres americanas mandam flores para si mesmas no dia dos namorados.

16 - O nome científico do gorila é “Gorilla, gorilla, gorilla”.

17 - O livro mais vendido no mundo é a Bíblia.

18 - Graham Bell atendia o telefone dizendo “Ahoy”

19 - As mulheres são as maiores compradoras de: cuecas e barbeadores elétricos.

20 - Shigechio Isumi, um pescador japonês viveu 121 anos.

21 - 110.000 pessoas vão ter mais de 100 anos em 2016.

22 - As palavras cruzadas surgiram em 10 de abril de 1924.

23 - Shaquile Oneil usa um par de tênis por partida.

24 - Uma mulher chamada Mum-Zi já era avó com 17 anos. Ela teve sua filha com 8 anos e 4 meses, e sua filha também se tornou mãe com 8 anos!

25 - Americanos consomem 16.000 toneladas de aspirina por ano.

26 - Uma pulga fêmea consome por dia 15 vezes o próprio peso em sangue!

27 - Há mais de 2400 espécies de pulgas conhecidas.

28 - Quando cobras nascem com duas cabeças, as cabeças brigam entre si por comida.

29 - O Oceano Atlântico é mais salgado que o Pacífico.

30 - O elefante é o único animal com quatro joelhos.

31 - Um bilhão de segundos equivale a 31,7 anos.

32 - O nome original de Luke Skywalker era Luke Starkiller.

33 - Willard Scott foi o primeiro Ronald Mc Donald.

34 - 16% das mulheres nascem loiras. 33% das mulheres são loiras.

35 - A população mundial deve dobrar em 2050.

36 - 10.000 produtos químicos são criados por dia.

37 - Uma gota de óleo torna 25 litros de água imprópria para o consumo.

38 - 98% dos japoneses são cremados.

39 - Uma asa de mosquito se move 1000 vezes por segundo.

40 - Antes da Segunda Guerra os negros não eram aceitos no Exército Americano.

41 - As únicas pedras da Antártida são fragmentos de meteoritos.

42 - O crânio tem 29 ossos..

43 - Uma pessoa morre de câncer por hora.

44 - Os americanos gastam mais com comida de cachorro que com comida de bebê.

45 - Os koalas não bebem água, eles absorvem os líquidos das folhas de eucalipto.

46 - Seu cabelo cresce mais rápido à noite, e você perde em média 100 fios por dia.

47 - Os astronautas são mais altos no espaço que na Terra, devido à ausência de gravidade.

48 - Os olhos de um hamster podem cair se você pendurá-lo de cabeça pra baixo.

49 - Rir durante o dia faz com que você durma melhor à noite.

50 - O Incrível Hulk era originalmente cinza.

51 - A palavra “VIP” significa “Very Important Person”

52 - Você sabia que um copo de água quente congela primeiro que um de água fria!.
Fonte: www.baratonta.com

sexta-feira, 21 de maio de 2010

CRACK NEM PENSAR

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Melô do Congresso

video

terça-feira, 18 de maio de 2010

Academia Cearense de Letras

Salão de entrada
Fachada lateral
Estátua de Rachel de Queiroz na Praça dos Leões
Vista pela Praça dos Leões
Vista noturna
Com 116 anos de atividade, a Academia Cearense de Letras é a mais antiga do gênero no Brasil. A entidade abriga hoje outras 14 instituições dedicadas à Literatura.

Você vem andando ali no ruge-ruge do centro da cidade de Fortaleza, gente vendendo de tudo, barulho ensurdecedor, poluição de cores, caos no trânsito, sujeira e, no miolo desse mundo tão peculiar quanto antigo, eis que surge a casa da Rua do Rosário, número 1, construída no século XVIII, formando quadrilátero para as ruas Sena Madureira, Guilherme Rocha e praça General Tibúrcio, e, há 21 anos, abrigo da Academia Cearense de Letras (ACL).

Dar uns poucos passos e se permitir estar no Palácio da Luz, é como chegar a um universo paralelo, literalmente, oposto à realidade externa. Lá dentro tudo é silêncio, sobriedade, elegância e solenidade. O Diário do Nordeste adentrou as portas da primeira academia de letras do Brasil e esquadrinhou muitos dos segredos guardados entre suas muralhas "de 384 palmos de extensão", hoje quase imperceptíveis ante os prédios quase modernos que descaracterizaram os arredores do patrimônio tombado pelo Estado em 1983.

E o mundo que habita ali é mesmo vasto. Aos primeiros passos no amplo salão de tábua corrida de maçaranduba, madeira amarga que cupim não rói, as paredes em arco dão indícios de histórias vibrantes, registros curados pela ação do tempo, e sabedoria legada pelas mentes brilhantes que perpetuam vida ali até hoje.

Na antiga casa de eira, beira e tribeira, afora alguns traços reminiscentes, como as passagens arqueadas e a gradaria de ferro que dá acesso à rua debaixo, já quase não é mais possível identificá-la a um movimento arquitetônico específico. Mas é lá, no meio das paredes que aparentam refletir apenas memórias, que é possível encontrar a energia vibrante de Regina Pamplona Fiúza, diretora administrativa da ACL há 17 anos, e uma das principais responsáveis pela elegância do lugar.

Além de testemunha ocular da história, a gestora é bisneta do padeiro-mor da Padaria Espiritual, e um dos fundadores da Academia Cearense de Letras, José Carlos da Costa Ribeiro Junior, prima de Eduardo Campos e sobrinha de Artur Eduardo Benevides, ambos ex-presidentes da ACL. E a história se perpetua. "Quando Artur Eduardo Benevides assumiu a presidência, decidiu abrir a ACL para outras entidades culturais. Ele dizia que era para trazer luz à Academia. Hoje abrigamos 14 organizações que vieram engrandecer e dinamizar esse lugar", ressalta Regina Pamplona.

E fez-se a Luz. Hoje, mensalmente, a nata da intelectualidade cearense se encontra no prédio que fora Palácio do Governo. Entre os convidados ilustres, estão: Academia Cearense da Língua Portuguesa; Academia Feminina de Letras; Academia Fortalezense de Letras; Academia Cearense de Retórica; Academia Ipuense de Letras; Academia de Letras dos Municípios do Estado do Ceará (ALMECE); Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza; Associação Brasileira de Bibliófilos; Associação Cearense de Geografia e História; Associação de Jornalistas (AJEB); Sociedade Amigas do Livro; a Associação Brasileira dos Trovadores, além de entidades informais, como Terça Feira em Prosa e Verso; Idade Dourada; e Instituto do Ceará.

Abrigo da cultura

Para o escritor Francisco Lima de Freitas, que além de presidir a ALMECE há 14 anos, é membro de outras quatro academias, o Palácio da Luz é, hoje, o reduto da cultura cearense. "É preponderante o abrigo da ACL para atrair quem gosta de arte e cultura. Aquele lugar é palco de festas memoráveis, noites inesquecíveis, realizadas com todo rigor. Para ter ideia, nossas reuniões contam com soprano, tenor, pianista, além de oradores dotados de extraordinária eloquência", destaca.

E tudo com a pompa e a circunstância que a liturgia do tema exige. Pelas salas e corredores que exibem, além do belíssimo afresco de Raimundo Cela, fotografias de Rachel de Queiroz, Moreira Campos, Natércia Campos, galeria com integrantes da Padaria Espiritual e acervo de pinturas de ex-presidentes, hoje, circulam nossos atuais "artistas das palavras".

A presidente da AJEB, Maria Luiza Bonfim, acredita que o caminho para o fortalecimento da cultura é a valorização de livros e escritores. "Não fosse o espaço que temos aqui na Academia para nos encontrarmos, seria muito mais difícil. Aqui realizamos conferências, palestras, desenvolvemos informativos, antologias, enfim. Para estar conosco só tem que gostar de literatura, não precisa nem escrever", assegura Luiza.

Novos imortais

Por enquanto o período ainda é para guardar o luto. Mas, próximo dia 10 de junho, a Academia Cearense de Letras declarará aberta vaga para duas candidaturas à imortalidade, devido a partida, no mês de abril, dos escritores Vinícius Barros Leal e Abelardo Montenegro. "Qualquer um pode se candidatar, mas a comissão é rigorosa. A partir da publicação oficial, temos que esperar dois meses de avaliações", explica Regina Pamplona.

E, no Salão Nobre, 10 expositores de vidro exibem a obra de 40 acadêmicos, selecionados do acervo de mais de 50 mil títulos que se espraiam por estantes coloniais. Lá no final da casa grande, onde outrora fora porta de entrada, dona Madalena Monteiro, bibliotecária dedicada à literatura cearense há mais de 30 anos, e conhecida pela boa memória, ajuda a recontar a história.

"Temos a biblioteca Justiniano de Serpa; a coleção João Carlos Neto, de autores cearenses e livros sobre o Ceará; o Memorial da Academia Cearense de Letras, que inclui obras do acervo de acadêmicos falecidos; coleção Fran Martins, de livros raros; coleção Martins Filho; coleção Moreira Campos; biblioteca Olga Barroso, da Sociedade Amigas do Livro, e que inclui, também acervo do ex-governador do Ceará, Parsifal Barroso, e outros", disserta Madalena.

Mas as atividades não param por aí. Próximo dia 24 de maio, às 19h, na sede da Academia Cearense de Letras, o atual presidente da casa, Pedro Henrique Saraiva Leão, entregará a primeira medalha Cláudio Martins, que, se vivo fosse, teria completado 100 anos dia 10 de maio de 2010, ao atual senador Tasso Jereissati.

"Essa será uma homenagem justa, já que todos nós, tanto a Academia Cearense de Letras, quanto as 14 organizações que aqui se reúnem, desfrutamos desse prédio doado em uma das gestões do então governador Tasso Jereissati. Será uma solenidade inesquecível", assegura o médico.

E dona Rachel permanece lá, representada na estátua esculpida pelo artista plástico, Murilo de Sá Toledo, sentada na praça dos Leões, admirando aquela movimentação toda em volta da casa onde tantas vezes lamentou não fazer parte. "Todos os meus colegas da Academia Brasileira de Letras fazem parte das de seus Estados. Esse é um dos momentos felizes de minha vida", disse à Regina Pamplona Fiúza, no dia de sua posse, realizada em 1994, no centenário da ACL.

Fonte: Jornal Diário do Nordeste / Natercia Rocha

quinta-feira, 6 de maio de 2010

domingo, 25 de abril de 2010

Um dia de merda


O que é um peido para quem está todo cagado?

A expressão do título é conhecida de todos, mas o texto que a originou é menos. É uma obra de Luís Fernando Veríssimo sobre a obra veríssima que ele fez numa viagem para Miami.

Só o li recentemente e transcrevo abaixo.


Aeroporto Santos Dumont, 15:30..

Senti um pequeno mal-estar causado por uma cólica intestinal, mas nada que uma urinada ou uma barrigada não aliviasse.

Mas,atrasado para chegar ao ônibus que me levaria para o Galeão, de onde partiria o vôo para Miami, resolvi segurar as pontas.

Afinal de contas são só uns 15 minutos de busão.' Chegando lá, tenho tempo de sobra para dar aquela mijadinha esperta, tranquilo, o avião só sairia às 16:30'.

Entrando no ônibus, sem sanitários. Senti a primeira contração e tomei consciência de que minha gravidez fecal chegara ao nono mês e que faria um parto de cócoras assim que entrasse no banheiro do aeroporto.

Virei para o meu amigo que me acompanhava e, sutil falei: 'Cara, mal posso esperar para chegar na merda do aeroporto porque preciso largar um barro.'

'Nesse momento, senti um urubu beliscando minha cueca, mas botei a força de vontade para trabalhar e segurei a onda.'

O ônibus nem tinha começado a andar quando, para meu desespero, uma voz disse pelo alto falante: 'Senhoras e senhores, nossa viagem, entre os dois aeroportos, levará em torno de 1hora, devido a obras na pista.

'Aí o urubu ficou maluco querendo sair a qualquer custo'. Fiz um esforço hercúleo para segurar o trem merda que estava para chegar na estação ânus a qualquer momento. Suava em bicas

Meu amigo percebeu e, como bom amigo que era, aproveitou para tirar um sarro.

O alívio provisório veio em forma de bolhas estomacais, indicando que pelo menos por enquanto as coisas tinham se acomodado.

Tentava me distrair vendo TV, mas só conseguia pensar em um banheiro, não com uma privada, mas com um vaso sanitário tão branco e tão limpo que alguém poderia botar seu almoço nele. E o papel higiênico então: branco e macio, com textura e perfume e, ops, senti um volume almofadado entre meu traseiro e o assento do ônibus e percebi, consternado, que havia cagado.

Um cocô sólido e comprido daqueles que dão orgulho de pai ao seu autor. Daqueles que dá vontade de ligar pros amigos e parentes e convidá-los a apreciar na privada. Tão perfeita obra, dava pra expor em uma bienal.

Mas sem dúvida, a situação tava tensa. Olhei para o meu amigo, procurando um pouco de piedade, e confessei sério: 'Cara, caguei!'

Quando meu amigo parou de rir, uns cinco minutos depois, aconselhou-me a relaxar, pois agora estava tudo sob controle. 'Que se dane, me limpo no aeroporto' ,pensei. 'Pior que isso não fico'.

Mal o ônibus entrou em movimento, a cólica recomeçou forte.
Arregalei os olhos, segurei-me na cadeira mas não pude evitar, e sem muita cerimônia ou anunciação, veio a segunda leva de merda.

Desta vez, como uma pasta morna. Foi merda para tudo que é lado, borrando, esquentando e melando a bunda, cueca, barra da camisa, pernas, panturrilha, calças, meias e pés.

E mais uma cólica anunciando mais merda, agora líquida, das que queimam o fiofó do freguês ao sair rumo à liberdade. E depois um peido tipo bufa, que eu nem tentei segurar. Afinal de contas, o que era um peidinho para quem já estava todo cagado... Já o peido seguinte, foi do tipo que pesa. E me caguei pela quarta vez. Lembrei de um amigo que certa vez estava com tanta caganeira que resolveu botar modess na cueca, mas colocou as linhas adesivas viradas para cima e quando foi tirá-lo levou metade dos pêlos do rabo junto. Mas era tarde demais para tal artifício absorvente. Tinha menstruado tanta merda que nem uma bomba de cisterna poderia me ajudar a limpar a sujeirada.

Finalmente cheguei ao aeroporto e saindo apressado com passos curtinhos, supliquei ao meu amigo que apanhasse minha mala no bagageiro do ônibus e a levasse ao sanitário do aeroporto para que eu pudesse trocar de roupas. Corri ao banheiro e entrando de boxe em boxe, constatei falta de papel higiênico em todos os cinco.

Olhei para cima e blasfemei: 'Agora chega, né?'

Entrei no último, sem papel mesmo, e tirei a roupa toda para analisar minha situação (que concluí como sendo o fundo do poço) e esperar pela minha salvação, com roupas limpinhas e cheirosinhas e com ela uma lufada de dignidade no meu dia.

Meu amigo entrou no banheiro com pressa, tinha feito o 'check-in' e ia correndo tentar segurar o vôo. Jogou por cima do boxe o cartão de embarque e uma maleta de mão e saiu antes de qualquer protesto de minha parte. 'Ele tinha despachado a mala com roupas'.

Na mala de mão só tinha um pulôver de gola 'V'. A temperatura em Miami era de aproximadamente 35 graus.

Desesperado comecei a analisar quais de minhas roupas seriam, de algum modo, aproveitáveis. Minha cueca, joguei no lixo. A camisa era história.

As calças estavam deploráveis e assim como minhas meias, mudaram de cor tingidas pela merda . Meus sapatos estavam nota 3, numa escala de 1 a 10.

Teria que improvisar. A invenção é mãe da necessidade, então transformei uma simples privada em uma magnífica máquina de lavar. Virei a calça do lado avesso, segurei-a pela barra, e mergulhei a parte atingida na água. Comecei a dar descarga até que o grosso da merda se desprendeu. Estava pronto para embarcar.

Saí do banheiro e atravessei o aeroporto em direção ao portão de embarque trajando sapatos sem meias, as calças do lado avesso e molhadas da cintura ao joelho (não exatamente limpas) e o pulôver gola 'V', sem camisa. Mas caminhava com a dignidade de um lorde.

Embarquei no avião, onde todos os passageiros estavam esperando o 'RAPAZ QUE ESTAVA NO BANHEIRO' e atravessei todo o corredor até o meu assento, ao lado do meu amigo que sorria. A aeromoça aproximou-se e perguntou se precisava de algo.


Eu cheguei a pensar em pedir 120 toalhinhas perfumadas para disfarçar o cheiro de fossa transbordante e uma gilete para cortar os pulsos, mas decidi não pedir:

'Nada, obrigado.'

Eu só queria esquecer este dia de merda . Um dia de merda...

* Luís Fernando Veríssimo* (verídico).

sexta-feira, 23 de abril de 2010

O BALÃO


Se você conseguir imaginar a cena, esta piada vai ser impagável...

O pirralho estava brincando pelo apartamento com um destes balõezinhos de festa de aniversário, tipo bexiga. Chutava prá cá, chutava prá lá, até que o balão acabou entrando no banheiro e foi cair justamente dentro da privada.

Ele chegou, espiou a bola molhada, ficou com nojo e deixou a danada ali mesmo.

Pouco tempo depois seu pai entrou para se "desocupar" e nem notou a bola.

Ficou ali, lendo, enquanto fazia o "serviço". Ao terminar, olhou para o vaso sanitário. Suas fezes haviam coberto o balão e a impressão que se tinha era de um imenso, um absurdo, um gigantesco bolo fecal! Sem acreditar naquilo, ligou dali mesmo, pelo celular, para o seu amigo que era médico:

- Geraldo, eu enchi a privada de bosta. Nunca vi tanta assim na minha vida, cara! Tá quase passando do limite do vaso! Acho que eu devo estar com algum problema sério!

- Que isso, Anselmo, cê tá exagerando!

- Que exagerando o quê, meu! Eu tô olhando pra esse 'merdel' todo agora! É um absurdo! Eu devo estar doente!

- Bom, eu já tava indo pra casa mesmo... aproveito e passo aí que é caminho!

O médico chega e vai direto ao encontro do amigo, que estava na porta do banheiro esperando.

- Olá, Anselmo, cadê o negócio que vo... NOSSA MÃE DO CÉU! O que é isso?

O que você comeu, criatura?

- Não falei?! Agora tá acreditando, né?!

- Nossa! Isso é inacreditável!

- E então, será que eu tenho algum problema sério?!

- Olha, o melhor é eu pegar uma amostra desse cocozão e mandar para análise.

O médico saca uma pequena espátula e um frasco esterilizado de sua maleta, espeta o 'bolo' para coletar uma amostra do material e.... BUMMM !!!!!!!!!!!

A bexiga estoura e voa merda pra tudo que é lado!

Seguem-se instantes de absoluto silêncio.... Os dois, completamente sujos de bosta, se olham e, estupefato, o médico berra:

- PUUUUUTA QUE O PARIU !!!!! Eu achava que já tinha visto de tudo nesta vida, mas peido com casca, nunca!

domingo, 17 de janeiro de 2010

Fortaleza das antigas - O primeiro automóvel de Fortaleza

O primeiro automóvel chegou por aqui em 28 de março de 1909, vindo dos Estados Unidos pelo vapor inglês “Cearense”.

Era um automóvel da marca “Rambler” usado, comprado pela Empresa Auto Transporte, de propriedade do Dr. Meton de Alencar e de Julio Pinto, adquirido por 8:000$000. (Creio que o valor seja oito mil Réis).

Após o desembarque na alfândega, como ninguém soubesse dirigir, o veículo foi puxado por um jumento no trajeto entre o prédio da alfândega até o edifício do Cinema Júlio Pinto, localizado na Rua Major Facundo n° 64, acompanhado por uma verdadeira multidão de curiosos, que se formou ao redor do veiculo e do jumento.

Depois de muito pesquisar o motor, dois intrépidos cidadãos aprenderam a dirigir e quando saíam para a via pública, eram sempre alvos de curiosidade por parte da população.

Nessas viagens quase sempre o carro enguiçava, sendo preciso desmontá-lo em plena rua para consertá-lo. Como o motor estava localizado sob o veiculo, era necessário arrancar a carroceria todas as vezes que isso acontecia.

Certa vez perdeu-se a tampa do radiador na estrada de Messejana, e o proprietário anunciou no jornal que gratificaria a quem a encontrasse e devolvesse. Movimentou-se então uma multidão de populares em busca da peça, mas como ninguém sabia o que seria uma tampa de radiador, foram levados ao proprietário, todos os tipos de objetos de ferro que puderam ser encontrados naquela estrada, inclusive, até camburões de ferro.

Depois de um tempo, de tanto rodar, os pneus ficaram gastos e precisaram ser substituídos, mas onde encontrá-los? Improvisaram então umas rodas de madeira com aros de ferro, que faziam uma barulheira infernal nas pedras de calçamento.

Apesar dos percalços, esse carro conseguiu fazer diversas viagens a Messejana, e de certa feita, foi até Canindé, durante as festas religiosas. Seguiu de Fortaleza até Itaúna dentro de um vagão da E.F. de Baturité, e daí em diante rodando por uma estrada improvisada, levou um dia inteiro até chegar a Canindé.

Em certa ocasião ao trafegar na Avenida do Imperador, ao desviar-se de um pedestre, o carro foi de encontro a um muro, derrubando-o. Esse foi o primeiro acidente de trânsito da história da cidade.

Extraído do livro “Coisas que o Tempo Levou” de Raimundo de Menezes
segunda-feira, 16 de agosto de 2010 às 10:27:00 AM | 0 comentários  

video

Postado por Fred Guilhon Marcadores:
sábado, 14 de agosto de 2010 às 6:17:00 AM | 0 comentários  
Postado por Fred Guilhon Marcadores:
Postado por Fred Guilhon Marcadores:
Clique na imagem para ampliar

O Planeta Fusca realizará seu 2º encontro de Fuscas e derivados com uma novidade.

Além da presença dos carros do Museu do Automóvel do Ceará, abrimos uma ala especialmente para veículos multi marcas antigos.

O evento será realizado no Kartódromo Internacional Júlio Ventura no Eusébio, região metropolitana de Fortaleza no dia 09 de Outubro de 2010 (Sábado), começando as 15 horas e terminando após a meia noite.

Para quem não conhece, o Kartódromo Internacional Júlio Ventura é um dos ou o maior e mais bem estruturado do Brasil. Pista e gramados impecáveis com vários banheiros espalhados por toda área com iluminação noturna magnifica e amplo estacionamento fechado para visitantes. Já o clima é outro atrativo, bastante ventilado e chegando a fazer frio a noite.

Contaremos com estrutura de restaurante, bares, lanchonete, DJ tocando durante todo o evento, mercado de pulgas, peças e acessórios raros, vários antiquários, venda de miniaturas, chaveiros, camisetas e souvenirs em geral, brindes, bingos, lindas gatas no lava jato (só para Fuscas), troféus para os melhores carros em sua categoria e muitas outras surpresas.

A inscrição é R$ 30,00 (Trinta Reais) por carro com direito a 1 adesivo, 1 camisa, 1 ficha p/ colocar no carro, concorrer aos bingos e outros brindes.

A visitação é grátis.

Lembramos que as vagas são LIMITADAS!

Mais informações:

Fones: (85) 8790.2677 ou 9945.0194
E-Mail:
fredguilhon@hotmail.com

O endereço do Planeta Fusca é:

www.planeta-fusca.blogspot.com

Postado por Fred Guilhon Marcadores: , ,
quarta-feira, 9 de junho de 2010 às 10:37:00 AM | 0 comentários  

Amigos leitores. Foi Furtado o Voyage do filho do meu amigo Antigomobilista Paulo Fiuza, Ramon Fiuza, ontem (08 de Junho de 2010).

O carro havia sido estacionado às 09:15h na Rua Francisco Holanda, em frente ao nº 843, bairro Dionísio Torres, próximo à Assembleia Legislativa do Estado do Ceará em Fortaleza.

Ao regressar para o local por volta das 13:30h, seu filho constatou que o carro havia sido furtado.

Dados do veículo:

Voyage, ano 1989, azul escuro, álcool, placas HUG-6535 Fortaleza - Ceará.

Caso tenham alguma notícia podem entrar em contato com os telefones:
(85) 9608-3141 (Paulo Fiuza)
(85) 9924-1582 / 3253-2316 (Ramon Fiuza)
(85) 9945-0194 (Fred Guilhon)
E-Mail: fredguilhon@hotmail.com

Por favor, divulguem!!!



Postado por Fred Guilhon Marcadores:
01 - Se todos os cachorros quentes consumidos pelos americanos em 1 ano fosse enfileirados, poderia ser feita uma “ponte” que daria duas vezes a distância da Terra até a Lua.

02 - O Sol libera mais energia em um segundo do que tudo que a humanidade já consumiu em toda a sua existência.

03 - Quando você for ao Mc Donalds, preste atenção na maneira com que os atendentes colocam a comida na sua bandeja: o “M” estará sempre virado para o seu lado.

04 - Ratos não vomitam.

05 - Para algumas pessoas, comer aspargos deixa a urina com cheiro diferente.

06 - Está provado que o cigarro é a maior fonte de pesquisas e estatísticas.

07 - Os chipanzés e os golfinhos são os únicos animais capazes de se reconhecer na frente de um espelho.

08 - O material mais resistente criado pela natureza é a teia de aranha.

09 - Na França é proibida a venda de bonecos que não tenham rostos humanos, como ETs.

10 - As moscas domésticas vivem apenas 2 semanas.

11 - Astronautas não podem comer feijão antes de suas viagens, pois os gases podem danificar as roupas espaciais.

12 - Meninos com nomes estranhos geralmente tem mais problemas mentais que as meninas.

13 - Os russos atendem ao telefone dizendo “Estou ouvindo”

14 - Até 1967 o uso do LSD era permitido na Califórnia.

15 - 15% das mulheres americanas mandam flores para si mesmas no dia dos namorados.

16 - O nome científico do gorila é “Gorilla, gorilla, gorilla”.

17 - O livro mais vendido no mundo é a Bíblia.

18 - Graham Bell atendia o telefone dizendo “Ahoy”

19 - As mulheres são as maiores compradoras de: cuecas e barbeadores elétricos.

20 - Shigechio Isumi, um pescador japonês viveu 121 anos.

21 - 110.000 pessoas vão ter mais de 100 anos em 2016.

22 - As palavras cruzadas surgiram em 10 de abril de 1924.

23 - Shaquile Oneil usa um par de tênis por partida.

24 - Uma mulher chamada Mum-Zi já era avó com 17 anos. Ela teve sua filha com 8 anos e 4 meses, e sua filha também se tornou mãe com 8 anos!

25 - Americanos consomem 16.000 toneladas de aspirina por ano.

26 - Uma pulga fêmea consome por dia 15 vezes o próprio peso em sangue!

27 - Há mais de 2400 espécies de pulgas conhecidas.

28 - Quando cobras nascem com duas cabeças, as cabeças brigam entre si por comida.

29 - O Oceano Atlântico é mais salgado que o Pacífico.

30 - O elefante é o único animal com quatro joelhos.

31 - Um bilhão de segundos equivale a 31,7 anos.

32 - O nome original de Luke Skywalker era Luke Starkiller.

33 - Willard Scott foi o primeiro Ronald Mc Donald.

34 - 16% das mulheres nascem loiras. 33% das mulheres são loiras.

35 - A população mundial deve dobrar em 2050.

36 - 10.000 produtos químicos são criados por dia.

37 - Uma gota de óleo torna 25 litros de água imprópria para o consumo.

38 - 98% dos japoneses são cremados.

39 - Uma asa de mosquito se move 1000 vezes por segundo.

40 - Antes da Segunda Guerra os negros não eram aceitos no Exército Americano.

41 - As únicas pedras da Antártida são fragmentos de meteoritos.

42 - O crânio tem 29 ossos..

43 - Uma pessoa morre de câncer por hora.

44 - Os americanos gastam mais com comida de cachorro que com comida de bebê.

45 - Os koalas não bebem água, eles absorvem os líquidos das folhas de eucalipto.

46 - Seu cabelo cresce mais rápido à noite, e você perde em média 100 fios por dia.

47 - Os astronautas são mais altos no espaço que na Terra, devido à ausência de gravidade.

48 - Os olhos de um hamster podem cair se você pendurá-lo de cabeça pra baixo.

49 - Rir durante o dia faz com que você durma melhor à noite.

50 - O Incrível Hulk era originalmente cinza.

51 - A palavra “VIP” significa “Very Important Person”

52 - Você sabia que um copo de água quente congela primeiro que um de água fria!.
Fonte: www.baratonta.com
Postado por Fred Guilhon Marcadores:
sexta-feira, 21 de maio de 2010 às 11:52:00 AM | 0 comentários  
Postado por Fred Guilhon Marcadores:
quinta-feira, 20 de maio de 2010 às 12:55:00 PM | 0 comentários  

video

Postado por Fred Guilhon Marcadores: , ,
terça-feira, 18 de maio de 2010 às 3:26:00 AM | 2 comentários  
Salão de entrada
Fachada lateral
Estátua de Rachel de Queiroz na Praça dos Leões
Vista pela Praça dos Leões
Vista noturna
Com 116 anos de atividade, a Academia Cearense de Letras é a mais antiga do gênero no Brasil. A entidade abriga hoje outras 14 instituições dedicadas à Literatura.

Você vem andando ali no ruge-ruge do centro da cidade de Fortaleza, gente vendendo de tudo, barulho ensurdecedor, poluição de cores, caos no trânsito, sujeira e, no miolo desse mundo tão peculiar quanto antigo, eis que surge a casa da Rua do Rosário, número 1, construída no século XVIII, formando quadrilátero para as ruas Sena Madureira, Guilherme Rocha e praça General Tibúrcio, e, há 21 anos, abrigo da Academia Cearense de Letras (ACL).

Dar uns poucos passos e se permitir estar no Palácio da Luz, é como chegar a um universo paralelo, literalmente, oposto à realidade externa. Lá dentro tudo é silêncio, sobriedade, elegância e solenidade. O Diário do Nordeste adentrou as portas da primeira academia de letras do Brasil e esquadrinhou muitos dos segredos guardados entre suas muralhas "de 384 palmos de extensão", hoje quase imperceptíveis ante os prédios quase modernos que descaracterizaram os arredores do patrimônio tombado pelo Estado em 1983.

E o mundo que habita ali é mesmo vasto. Aos primeiros passos no amplo salão de tábua corrida de maçaranduba, madeira amarga que cupim não rói, as paredes em arco dão indícios de histórias vibrantes, registros curados pela ação do tempo, e sabedoria legada pelas mentes brilhantes que perpetuam vida ali até hoje.

Na antiga casa de eira, beira e tribeira, afora alguns traços reminiscentes, como as passagens arqueadas e a gradaria de ferro que dá acesso à rua debaixo, já quase não é mais possível identificá-la a um movimento arquitetônico específico. Mas é lá, no meio das paredes que aparentam refletir apenas memórias, que é possível encontrar a energia vibrante de Regina Pamplona Fiúza, diretora administrativa da ACL há 17 anos, e uma das principais responsáveis pela elegância do lugar.

Além de testemunha ocular da história, a gestora é bisneta do padeiro-mor da Padaria Espiritual, e um dos fundadores da Academia Cearense de Letras, José Carlos da Costa Ribeiro Junior, prima de Eduardo Campos e sobrinha de Artur Eduardo Benevides, ambos ex-presidentes da ACL. E a história se perpetua. "Quando Artur Eduardo Benevides assumiu a presidência, decidiu abrir a ACL para outras entidades culturais. Ele dizia que era para trazer luz à Academia. Hoje abrigamos 14 organizações que vieram engrandecer e dinamizar esse lugar", ressalta Regina Pamplona.

E fez-se a Luz. Hoje, mensalmente, a nata da intelectualidade cearense se encontra no prédio que fora Palácio do Governo. Entre os convidados ilustres, estão: Academia Cearense da Língua Portuguesa; Academia Feminina de Letras; Academia Fortalezense de Letras; Academia Cearense de Retórica; Academia Ipuense de Letras; Academia de Letras dos Municípios do Estado do Ceará (ALMECE); Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza; Associação Brasileira de Bibliófilos; Associação Cearense de Geografia e História; Associação de Jornalistas (AJEB); Sociedade Amigas do Livro; a Associação Brasileira dos Trovadores, além de entidades informais, como Terça Feira em Prosa e Verso; Idade Dourada; e Instituto do Ceará.

Abrigo da cultura

Para o escritor Francisco Lima de Freitas, que além de presidir a ALMECE há 14 anos, é membro de outras quatro academias, o Palácio da Luz é, hoje, o reduto da cultura cearense. "É preponderante o abrigo da ACL para atrair quem gosta de arte e cultura. Aquele lugar é palco de festas memoráveis, noites inesquecíveis, realizadas com todo rigor. Para ter ideia, nossas reuniões contam com soprano, tenor, pianista, além de oradores dotados de extraordinária eloquência", destaca.

E tudo com a pompa e a circunstância que a liturgia do tema exige. Pelas salas e corredores que exibem, além do belíssimo afresco de Raimundo Cela, fotografias de Rachel de Queiroz, Moreira Campos, Natércia Campos, galeria com integrantes da Padaria Espiritual e acervo de pinturas de ex-presidentes, hoje, circulam nossos atuais "artistas das palavras".

A presidente da AJEB, Maria Luiza Bonfim, acredita que o caminho para o fortalecimento da cultura é a valorização de livros e escritores. "Não fosse o espaço que temos aqui na Academia para nos encontrarmos, seria muito mais difícil. Aqui realizamos conferências, palestras, desenvolvemos informativos, antologias, enfim. Para estar conosco só tem que gostar de literatura, não precisa nem escrever", assegura Luiza.

Novos imortais

Por enquanto o período ainda é para guardar o luto. Mas, próximo dia 10 de junho, a Academia Cearense de Letras declarará aberta vaga para duas candidaturas à imortalidade, devido a partida, no mês de abril, dos escritores Vinícius Barros Leal e Abelardo Montenegro. "Qualquer um pode se candidatar, mas a comissão é rigorosa. A partir da publicação oficial, temos que esperar dois meses de avaliações", explica Regina Pamplona.

E, no Salão Nobre, 10 expositores de vidro exibem a obra de 40 acadêmicos, selecionados do acervo de mais de 50 mil títulos que se espraiam por estantes coloniais. Lá no final da casa grande, onde outrora fora porta de entrada, dona Madalena Monteiro, bibliotecária dedicada à literatura cearense há mais de 30 anos, e conhecida pela boa memória, ajuda a recontar a história.

"Temos a biblioteca Justiniano de Serpa; a coleção João Carlos Neto, de autores cearenses e livros sobre o Ceará; o Memorial da Academia Cearense de Letras, que inclui obras do acervo de acadêmicos falecidos; coleção Fran Martins, de livros raros; coleção Martins Filho; coleção Moreira Campos; biblioteca Olga Barroso, da Sociedade Amigas do Livro, e que inclui, também acervo do ex-governador do Ceará, Parsifal Barroso, e outros", disserta Madalena.

Mas as atividades não param por aí. Próximo dia 24 de maio, às 19h, na sede da Academia Cearense de Letras, o atual presidente da casa, Pedro Henrique Saraiva Leão, entregará a primeira medalha Cláudio Martins, que, se vivo fosse, teria completado 100 anos dia 10 de maio de 2010, ao atual senador Tasso Jereissati.

"Essa será uma homenagem justa, já que todos nós, tanto a Academia Cearense de Letras, quanto as 14 organizações que aqui se reúnem, desfrutamos desse prédio doado em uma das gestões do então governador Tasso Jereissati. Será uma solenidade inesquecível", assegura o médico.

E dona Rachel permanece lá, representada na estátua esculpida pelo artista plástico, Murilo de Sá Toledo, sentada na praça dos Leões, admirando aquela movimentação toda em volta da casa onde tantas vezes lamentou não fazer parte. "Todos os meus colegas da Academia Brasileira de Letras fazem parte das de seus Estados. Esse é um dos momentos felizes de minha vida", disse à Regina Pamplona Fiúza, no dia de sua posse, realizada em 1994, no centenário da ACL.

Fonte: Jornal Diário do Nordeste / Natercia Rocha
Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,

video

Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,
domingo, 25 de abril de 2010 às 8:41:00 AM | 0 comentários  

O que é um peido para quem está todo cagado?

A expressão do título é conhecida de todos, mas o texto que a originou é menos. É uma obra de Luís Fernando Veríssimo sobre a obra veríssima que ele fez numa viagem para Miami.

Só o li recentemente e transcrevo abaixo.


Aeroporto Santos Dumont, 15:30..

Senti um pequeno mal-estar causado por uma cólica intestinal, mas nada que uma urinada ou uma barrigada não aliviasse.

Mas,atrasado para chegar ao ônibus que me levaria para o Galeão, de onde partiria o vôo para Miami, resolvi segurar as pontas.

Afinal de contas são só uns 15 minutos de busão.' Chegando lá, tenho tempo de sobra para dar aquela mijadinha esperta, tranquilo, o avião só sairia às 16:30'.

Entrando no ônibus, sem sanitários. Senti a primeira contração e tomei consciência de que minha gravidez fecal chegara ao nono mês e que faria um parto de cócoras assim que entrasse no banheiro do aeroporto.

Virei para o meu amigo que me acompanhava e, sutil falei: 'Cara, mal posso esperar para chegar na merda do aeroporto porque preciso largar um barro.'

'Nesse momento, senti um urubu beliscando minha cueca, mas botei a força de vontade para trabalhar e segurei a onda.'

O ônibus nem tinha começado a andar quando, para meu desespero, uma voz disse pelo alto falante: 'Senhoras e senhores, nossa viagem, entre os dois aeroportos, levará em torno de 1hora, devido a obras na pista.

'Aí o urubu ficou maluco querendo sair a qualquer custo'. Fiz um esforço hercúleo para segurar o trem merda que estava para chegar na estação ânus a qualquer momento. Suava em bicas

Meu amigo percebeu e, como bom amigo que era, aproveitou para tirar um sarro.

O alívio provisório veio em forma de bolhas estomacais, indicando que pelo menos por enquanto as coisas tinham se acomodado.

Tentava me distrair vendo TV, mas só conseguia pensar em um banheiro, não com uma privada, mas com um vaso sanitário tão branco e tão limpo que alguém poderia botar seu almoço nele. E o papel higiênico então: branco e macio, com textura e perfume e, ops, senti um volume almofadado entre meu traseiro e o assento do ônibus e percebi, consternado, que havia cagado.

Um cocô sólido e comprido daqueles que dão orgulho de pai ao seu autor. Daqueles que dá vontade de ligar pros amigos e parentes e convidá-los a apreciar na privada. Tão perfeita obra, dava pra expor em uma bienal.

Mas sem dúvida, a situação tava tensa. Olhei para o meu amigo, procurando um pouco de piedade, e confessei sério: 'Cara, caguei!'

Quando meu amigo parou de rir, uns cinco minutos depois, aconselhou-me a relaxar, pois agora estava tudo sob controle. 'Que se dane, me limpo no aeroporto' ,pensei. 'Pior que isso não fico'.

Mal o ônibus entrou em movimento, a cólica recomeçou forte.
Arregalei os olhos, segurei-me na cadeira mas não pude evitar, e sem muita cerimônia ou anunciação, veio a segunda leva de merda.

Desta vez, como uma pasta morna. Foi merda para tudo que é lado, borrando, esquentando e melando a bunda, cueca, barra da camisa, pernas, panturrilha, calças, meias e pés.

E mais uma cólica anunciando mais merda, agora líquida, das que queimam o fiofó do freguês ao sair rumo à liberdade. E depois um peido tipo bufa, que eu nem tentei segurar. Afinal de contas, o que era um peidinho para quem já estava todo cagado... Já o peido seguinte, foi do tipo que pesa. E me caguei pela quarta vez. Lembrei de um amigo que certa vez estava com tanta caganeira que resolveu botar modess na cueca, mas colocou as linhas adesivas viradas para cima e quando foi tirá-lo levou metade dos pêlos do rabo junto. Mas era tarde demais para tal artifício absorvente. Tinha menstruado tanta merda que nem uma bomba de cisterna poderia me ajudar a limpar a sujeirada.

Finalmente cheguei ao aeroporto e saindo apressado com passos curtinhos, supliquei ao meu amigo que apanhasse minha mala no bagageiro do ônibus e a levasse ao sanitário do aeroporto para que eu pudesse trocar de roupas. Corri ao banheiro e entrando de boxe em boxe, constatei falta de papel higiênico em todos os cinco.

Olhei para cima e blasfemei: 'Agora chega, né?'

Entrei no último, sem papel mesmo, e tirei a roupa toda para analisar minha situação (que concluí como sendo o fundo do poço) e esperar pela minha salvação, com roupas limpinhas e cheirosinhas e com ela uma lufada de dignidade no meu dia.

Meu amigo entrou no banheiro com pressa, tinha feito o 'check-in' e ia correndo tentar segurar o vôo. Jogou por cima do boxe o cartão de embarque e uma maleta de mão e saiu antes de qualquer protesto de minha parte. 'Ele tinha despachado a mala com roupas'.

Na mala de mão só tinha um pulôver de gola 'V'. A temperatura em Miami era de aproximadamente 35 graus.

Desesperado comecei a analisar quais de minhas roupas seriam, de algum modo, aproveitáveis. Minha cueca, joguei no lixo. A camisa era história.

As calças estavam deploráveis e assim como minhas meias, mudaram de cor tingidas pela merda . Meus sapatos estavam nota 3, numa escala de 1 a 10.

Teria que improvisar. A invenção é mãe da necessidade, então transformei uma simples privada em uma magnífica máquina de lavar. Virei a calça do lado avesso, segurei-a pela barra, e mergulhei a parte atingida na água. Comecei a dar descarga até que o grosso da merda se desprendeu. Estava pronto para embarcar.

Saí do banheiro e atravessei o aeroporto em direção ao portão de embarque trajando sapatos sem meias, as calças do lado avesso e molhadas da cintura ao joelho (não exatamente limpas) e o pulôver gola 'V', sem camisa. Mas caminhava com a dignidade de um lorde.

Embarquei no avião, onde todos os passageiros estavam esperando o 'RAPAZ QUE ESTAVA NO BANHEIRO' e atravessei todo o corredor até o meu assento, ao lado do meu amigo que sorria. A aeromoça aproximou-se e perguntou se precisava de algo.


Eu cheguei a pensar em pedir 120 toalhinhas perfumadas para disfarçar o cheiro de fossa transbordante e uma gilete para cortar os pulsos, mas decidi não pedir:

'Nada, obrigado.'

Eu só queria esquecer este dia de merda . Um dia de merda...

* Luís Fernando Veríssimo* (verídico).
Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,
sexta-feira, 23 de abril de 2010 às 6:10:00 PM | 0 comentários  

Se você conseguir imaginar a cena, esta piada vai ser impagável...

O pirralho estava brincando pelo apartamento com um destes balõezinhos de festa de aniversário, tipo bexiga. Chutava prá cá, chutava prá lá, até que o balão acabou entrando no banheiro e foi cair justamente dentro da privada.

Ele chegou, espiou a bola molhada, ficou com nojo e deixou a danada ali mesmo.

Pouco tempo depois seu pai entrou para se "desocupar" e nem notou a bola.

Ficou ali, lendo, enquanto fazia o "serviço". Ao terminar, olhou para o vaso sanitário. Suas fezes haviam coberto o balão e a impressão que se tinha era de um imenso, um absurdo, um gigantesco bolo fecal! Sem acreditar naquilo, ligou dali mesmo, pelo celular, para o seu amigo que era médico:

- Geraldo, eu enchi a privada de bosta. Nunca vi tanta assim na minha vida, cara! Tá quase passando do limite do vaso! Acho que eu devo estar com algum problema sério!

- Que isso, Anselmo, cê tá exagerando!

- Que exagerando o quê, meu! Eu tô olhando pra esse 'merdel' todo agora! É um absurdo! Eu devo estar doente!

- Bom, eu já tava indo pra casa mesmo... aproveito e passo aí que é caminho!

O médico chega e vai direto ao encontro do amigo, que estava na porta do banheiro esperando.

- Olá, Anselmo, cadê o negócio que vo... NOSSA MÃE DO CÉU! O que é isso?

O que você comeu, criatura?

- Não falei?! Agora tá acreditando, né?!

- Nossa! Isso é inacreditável!

- E então, será que eu tenho algum problema sério?!

- Olha, o melhor é eu pegar uma amostra desse cocozão e mandar para análise.

O médico saca uma pequena espátula e um frasco esterilizado de sua maleta, espeta o 'bolo' para coletar uma amostra do material e.... BUMMM !!!!!!!!!!!

A bexiga estoura e voa merda pra tudo que é lado!

Seguem-se instantes de absoluto silêncio.... Os dois, completamente sujos de bosta, se olham e, estupefato, o médico berra:

- PUUUUUTA QUE O PARIU !!!!! Eu achava que já tinha visto de tudo nesta vida, mas peido com casca, nunca!
Postado por Fred Guilhon Marcadores:
O primeiro automóvel chegou por aqui em 28 de março de 1909, vindo dos Estados Unidos pelo vapor inglês “Cearense”.

Era um automóvel da marca “Rambler” usado, comprado pela Empresa Auto Transporte, de propriedade do Dr. Meton de Alencar e de Julio Pinto, adquirido por 8:000$000. (Creio que o valor seja oito mil Réis).

Após o desembarque na alfândega, como ninguém soubesse dirigir, o veículo foi puxado por um jumento no trajeto entre o prédio da alfândega até o edifício do Cinema Júlio Pinto, localizado na Rua Major Facundo n° 64, acompanhado por uma verdadeira multidão de curiosos, que se formou ao redor do veiculo e do jumento.

Depois de muito pesquisar o motor, dois intrépidos cidadãos aprenderam a dirigir e quando saíam para a via pública, eram sempre alvos de curiosidade por parte da população.

Nessas viagens quase sempre o carro enguiçava, sendo preciso desmontá-lo em plena rua para consertá-lo. Como o motor estava localizado sob o veiculo, era necessário arrancar a carroceria todas as vezes que isso acontecia.

Certa vez perdeu-se a tampa do radiador na estrada de Messejana, e o proprietário anunciou no jornal que gratificaria a quem a encontrasse e devolvesse. Movimentou-se então uma multidão de populares em busca da peça, mas como ninguém sabia o que seria uma tampa de radiador, foram levados ao proprietário, todos os tipos de objetos de ferro que puderam ser encontrados naquela estrada, inclusive, até camburões de ferro.

Depois de um tempo, de tanto rodar, os pneus ficaram gastos e precisaram ser substituídos, mas onde encontrá-los? Improvisaram então umas rodas de madeira com aros de ferro, que faziam uma barulheira infernal nas pedras de calçamento.

Apesar dos percalços, esse carro conseguiu fazer diversas viagens a Messejana, e de certa feita, foi até Canindé, durante as festas religiosas. Seguiu de Fortaleza até Itaúna dentro de um vagão da E.F. de Baturité, e daí em diante rodando por uma estrada improvisada, levou um dia inteiro até chegar a Canindé.

Em certa ocasião ao trafegar na Avenida do Imperador, ao desviar-se de um pedestre, o carro foi de encontro a um muro, derrubando-o. Esse foi o primeiro acidente de trânsito da história da cidade.

Extraído do livro “Coisas que o Tempo Levou” de Raimundo de Menezes
Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,