quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

CD O BONDE DAS MARCHINHAS (2007)


FAIXAS:
01. Índio Quer Apito / Saca Rolha - Mr Catra
02. Cidade Maravilhosa / Marcha do Remador / Está Chegando a Hora - Mc Sapão
03. Mamãe, Eu Quero / Cabeleira do Zezé / Maria Sapatão - Gaiola das Popozudas
04. Me Dá um Dinheiro Aí / Atirei o Pau no Gato - Diazepan & Anderson Leornardo
05. Cachaça / Allah-la-ô / Tem Nego Bebo Aí - Gorila e Preto
06. Hino do Clube de Regatas Flamengo / Ta-hí ( Prá Você Gostar de Mim ) - Mc Buchecha - Mc Sapão - Mc Suellen
07. O Teu Cabelo Não Nega / Mulata Yê, Yê, Yê - Mc Buchecha
08. Trêm das Onze / Linda Morena - Mc Marcinho
09. Turma do Funil / Bandeira Branca - Bob Rum
10. Superfantástico / Ciranda, Cirandinha / Escravos de Jó - Latino
11. Coelhinho / Eu VI Papai Noel / se Eu Fosse um Peixinho - Latino
12. Cabelo do Saco - Mc Leozinho

domingo, 27 de janeiro de 2008

CD Trio Elétrico 2008


1. Amor de Carnaval - Ricardo Chaves - Part. Esp.: Ivete Sangalo
2. Rock Tribal - Babado Novo
3. Nosso Amor É Lindo - Banda Eva
4. Chicleteiro Eu, Chicleteira Ela - Chiclete com Banana
5. Pout-pourri: Preta: Eu Sou Preto / Sorriso Negro - Daniela Mercury
6. Flores da Favela - Jauperí
7. Doidera - Bruno e Marrone - Part. Esp.: Durval Lelys
8. Onde Tem Balada - Jammil
9. Coraçao Tambor - Negra Cor
10. O Melhor de Nós Dois - Carlinhos Brown
11. Na Capoeira - Netinho
12. Caminhão da Alegria - Margareth Menezes
13. Lua de São Jorge - Banda Cheiro de Amor
14. Te Espero no Farol - Rapazolla
15. Àfrica - Vixe Mainha
16. Cachaça - Timbalada
17. Nirombá - Ara Ketu

CD BANDA EVA - VEJA ALTO, OUÇA COLORIDO (2007)


1. Carnaval de Salvador
2. Eva
3. Só Eu e Você
4. Mútuo
5. Me Abraça
6. Não Precisa Mudar
7. Diz que Vai Voltar
8. Toda Linda
9. Rua
10. Reggae do Porto
11. Nosso Amor É Lindo
12. Coração Sem Tum Tum Tum
13. Se
14. Anjo
15. Faltando um Beijo
16. Pra Abalar
17. Traz Axé
18. Só Por Ti
19. Cartaz

CD ASA DE ÁGUIA - MAXXIMUM (2005)


1. Xô Xatanás - ao Vivo
2. Pra Lá de Bragadá
3. Cocobambu - ao Vivo
4. A Lenda
5. Amor Tropical / Eu Quero é Mais
6. Sereia
7. Manivel a - ao Vivo
8. Take It Easy - ao Vivo
9. A Dança da Tartaruga / pra Lá de Bragadá - ao Vivo
10. O Asa Chegou
11. Vacilou Eu como
12. Dança do Vampiro
13. Porto Seguro / Saber Legal - ao Vivo
14. Homem Cibernético
15. Pit Bull
16. Tenda da Feiticeira

CD AXÉ BAHIA 2008 - LANÇAMENTO

1. Extravasa - Babado Novo
2. Na Capoeira - Netinho
3. Com Carinho - Araketu
4. Amor Pirei - Voa Dois
5. Não Precisa Mudar - Live - Ivete Sangalo - Saulo Fernandes (banda Eva)
6. Você Vai Pirar - Alexandre Peixe
7. Diz que Vai Voltar - Banda Eva
8. Pensando em Você - Babado Novo
9. A Gente se Combina ( Vixe Mainha Vai ) - Vixe Mainha
10. Mulher Brasileira ( Toda Boa ) - Psirico
11. Vou Trocar Meu Colar por um Beijo - Banda Chica Fé
12. Aê ( Viva a Festa ) - Capitão Axé
13. Mamoeiro - Parangolé
14. Bateu na Lata - Guig Gueto
15. Te Espero no Farol - Rapazolla
16. Rara e Bela - Live - Asa de Águia

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Novo Ford Ka


Chico Anysio renasce em DVD

Chico Anysio, literalmente, renasce para os seus fãs no DVD duplo ´Chico Especial!´, que comemora seus 40 anos de TV Globo. Fora da grande mídia, o maior expoente vivo do humor nacional reaparece numa coletânea que atravessa décadas, a partir dos anos 70, com imagens em preto-e-branco, coloridas, e garantia de riso e nostalgia

Quem acompanhou Chico em algum momento de sua trajetória, principalmente na Globo, certamente vai se impressionar (e arrepiar) ao reencontrar personagens inesquecíveis, como Painho, Tavares, Azambuja, Justo Veríssimo, Bozó, o contador de histórias Pantaleão, entre vários outros, em 5h de muita gargalhada. O especial é um lançamento da Globo Marcas e Som Livre.

Enquanto para os ´senhores´ de hoje é uma oportunidade de reviver um humor diferente dos descartáveis atuais, para as novas gerações, que não acompanharam o cearense, de Maranguape, no auge, é uma forma de conhecer essa história. ´O DVD, com toda certeza, representa isso, tem esse objetivo´, revela o humorista ao Zoeira.

No depoimento de abertura, Chico fala sobre o início inusitado de sua carreira. ´Eu sou artista, porque esqueci o tênis´, diz. No primeiro disco, vários quadros do programa ´Chico Anysio Show´, com criações exibidas de 1983 a 1989. Quatro galerias mostram os personagens mais marcantes do período.

Já no segundo disco, os fãs vão encontrar o programa do ´Festival 25 Anos´, com o melhor na década de 90, além de um apanhado de contos de fadas contados pelo cearense: ´A bela adormecida´, ´Ali Babá´, ´Chapeuzinho vermelho´ e ´A Branca de Neve´.

O Professor Raymundo, explica Chico, não está no DVD duplo. ´Faz parte do projeto de outro DVD, só dele´. Sobre outros projetos, o humorista, de 76 anos, comemora o livro, criado em parceria com Ziraldo, de caricaturas de seus personagens. Por outro lado, lamenta a idéia de um museu com suas ´criaturas´ não ter saído do papel. O local seria Maranguape, mas não houve apoio governamental, nem privado. ´O museu não deve sair mais´, constata.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Celular salva a vida de assaltante


Um assaltante levou um tiro no peito, mas teve a vida salva pelo celular que estava no bolso de sua camisa.

O aparelho bloqueou o disparo e evitou que a bala penetrasse em seu peito.

O tiroteio aconteceu durante assalto a uma residência no Alto de Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo.

O vigia da rua percebeu o assalto e chamou a Polícia Militar.

Dos três assaltantes detidos, dois foram baleados. Uma mulher que também é apontada como integrante da quadrilha fugiu.

A polícia apreendeu com os três homens celulares, dinheiro, uma máquina fotográfica e duas armas.

Fazendo a cabeça com licor de maconha


Produtores lançam, durante a feira de bebidas Horecava, em Amsterdã, na Holanda, um licor feito do extrato de cannabis (maconha).

A bebida contém 14,5% de álcool e já está disponível para venda a desde ontem, segunda-feira (7).

Que lombra doida...

DVD Woodman Wide Open (+18)


Fotos de Juliana Knust nua na Playboy Dezembro


Clique AQUI para ver as fotos

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

CD DISCO INFERNO 1


01 - Sister Sledge - Lost In Music
02 - Chic - Le Freak
03 - Sylvester - You Make Me Feel
04 - Chaka Khan - I'm every woman
05 - candi staton - young hearts run free
06 - rose royce - is it love your after
07 - Stacy Lattisaw - Jump To The Beat
08 - Detroit Spinners - Working My Way Back To You
09 - Archie Bell & The Drells - Here I Go Again
10 - Cerrone - Supernature
11 - Trammps - Disco Inferno (Burn Baby Burn)
12 - Chic - Dance Dance Dance
13 - Candi Staton - Nights on broadway
14 - Narada Michael Walden - I Shoulda Loved Ya
15 - Detroit Spinners with Dionne Warwick - Then Came You
16 - Sheila & B Devotion - Spacer
17 - Sister Sledge - We Are Family
18 - Isaac Hayes - Theme FroM Shaft

Clique aqui:

CONTRASTE NA SEGURANÇA NO CEARÁ


Posto de Fiscalização Avançada, da CPRV, é feito com madeira fincadas e coberto por uma telha de amianto

Sobral. Está chamando atenção de quem trafega pela CE-178, na altura do Km 99, o contraste causado pelo luxo da Hilux que chegou à Sobral há cerca de 15 dias, e a estrutura física onde ficam os quatro policiais que trabalham no Posto de Fiscalização Avançada (PFA), da Companhia de Policiamento Rodoviário do Estado do Ceará (CPRV).

De um lado, portentosamente estacionado às margens da rodovia, a viatura SW4, da Toyota, avaliada em R$ 149 mil, equipada com minicomputador de bordo (GPS) e câmera de filmagem. Do outro, quatro linhas de madeira fincadas numa base de cimento, cobertas por uma telha de amianto, ajudada por uma lona surrada. Na estrutura imobiliária, um antigo carretel de madeira, quatro cadeiras de plástico e água numa garrafa de refrigerante de dois litros.

Mas, de acordo com o comandante da CPRV, Werisleik Pontes Matias, a dicotomia está com os dias contados. O tenente-coronel destacou que, até o final de janeiro, deste ano, serão construídas novas estruturas nos Postos Avançados, o que trará melhoria para as condições de trabalho dos policiais rodoviários estaduais.

“Existem situações precárias, sem instalações fixas adequadas mas, ainda esse mês, terá inicio a construção de novos postos. O projeto está lá, as plantas estão prontas. Vai mudar tudo, eles não ficarão mais às margens da CE, mas em canteiros centrais. Temos nove postos na mesma situação que o de Sobral, mas todos passarão por mudanças”, garantiu o comandante.

E destacou: “O que caracteriza um Posto Avançado é sua mobilidade. Eles não têm instalação fixa porque podem ser removidos para qualquer local. Não tem estrutura física porque são temporários”, disse o tenente, apesar de o Posto de Sobral estar no mesmo local há mais de três anos.

Novos equipamentos

Além da reestruturação nos Postos Avançados, o tenente-coronel Werisleik Matias adiantou que já estão licitados novos equipamentos e que, provavelmente, o Posto Avançado que atualmente se encontra em Sobral, pode ser transferido de lugar.

PREÇO

R$ 149 mil é o valor em que a viatura SW4, da Toyota, está avaliada. O veículo, o mesmo utilizado no Ronda do Quarteirão, está equipado com um computador de bordo (GPS) e uma câmera de filmagem.

DN

Um museu de todo dia


Uma extensa programação marca os 75 anos do Museu do Ceará. As comemorações começam hoje com o lançamento de um livro sobre a história da instituição

A trajetória do Museu do Ceará começou em janeiro de 1933. Ao ser aberto ao público, funcionava nas dependências do Arquivo Público, na Rua 24 de Maio, no Centro de Fortaleza. Foi a primeira instituição museológica oficial do Estado. Ao longo do tempo, o acervo cresceu, novas sedes surgiram e o Museu passou por profundas mudanças. O espaço, hoje, é bem mais do que um abrigo para um rico acervo de peças de importante valor simbólico para o Estado. Incorporado ao cotidiano urbano dos fortalezenses, mesmo involuntariamente, o Museu promove uma reflexão crítica sobre a História do Ceará por meio de programas integrados de pesquisas museológicas, exposições, cursos, publicações e práticas pedagógicas.

“No início, a política do Museu era mais de nacionalizar, de promover a defesa da pátria. Estava mais ligado à história das elites, assim como todos os museus surgidos nos anos 30”, explica o diretor da instituição, professor Régis Lopes. Segundo ele, só a partir dos anos 90, começou a se pensar na relação museu e cidadania, museu e reflexão crítica, no sentido de favorecer a interpretação da história. Para o professor, a missão da instituição, agora, é muito clara: “Promover uma reflexão crítica da História do Ceará, por meio de exposições, publicações, cursos e palestras”.

O pesquisador defende a idéia do Museu como um centro cultural, que leve as pessoas a interpretar o passado do nosso Estado, de nosso povo. Quem visita o Museu do Ceará pode conhecer a luta de Frei Tito, religioso cearense que denunciou ao mundo a tortura praticada pela didatura militar brasileira (1964 - 1985). Mergulha na história do Caldeirão, que resultou no massacre de centenas de camponeses pelas balas e bombas lançadas por policiais civis e militares no Sul do Ceará. E marcha com os jagunços da Sedição de Juazeiro, que invadiram Fortaleza sob o comando do deputado Floro Bartolomeu e as bênçãos de Padre Cícero.

Todos voltam no tempo. Pode-se conhecer a Fortaleza de uma época em que as vias da cidade eram batizadas com a voz do cotidiano. Tempo da Rua Formosa (atual Barão do Rio Branco), do Beco da Apertada Hora (Governador Sampaio), Rua da Cachorra Magra (Marechal Deodoro), Rua da Alegria (Floriano Peixoto). No século passado, muitas vias ganharam novo batismo, recebendo nomes em homenagens a militares, políticos e religiosos de expressão no Estado.

As 15 mil peças que compõem o atual acervo do Museu do Ceará ajudam a contar a história do Estado e levam o cearense a se reconhecer um pouco mais. Na parte exposta do acervo, são encontradas muitas peças arqueológicas, como urnas mortuárias das principais tribos que habitavam a região antes da chegada dos portugueses. São encontradas peças alusivas ao maracatu, punhais de cangaceiros, rifles e revólveres da Guarda Nacional, documentos sobre a abolição dos escravos, pinturas e fotos que ilustram passagens marcantes da própria identidade cearense.

Obra cronológica

Depois de sete décadas e meia, o Museu tem sua própria história contada no livro “Museu do Ceará - 75 anos”, realizado pela Associação dos Amigos do Museu do Ceará. A obra será lançada hoje, às 18 horas, dando início à programação comemorativa pelo aniversário do Museu. Com organização de Antônio Luís Macêdo Silva Filho e Régis Lopes, o livro remonta a cronologia de fatos, textos, fotografias e arquivos compilados pelos historiadores João Paulo Vieira Neto, Alexandre Oliveira Gomes e Ana Amélia Rodrigues de Oliveira.


O Bode Io-iô, peça mais ilustre do Museu do Ceará, é o personagem principal da fábula criada pela historiadora Kênia Rios no segundo volume da coleção “Outras Historinhas”, com ilustrações de Marcos Vinúcius, que será lançado hoje, logo depois da apresentação do livro “Museu do Ceará - 75 anos”. O Bode Io-iô é a “face” mais visível de um rico acervo - resultado de compras e doações de particulares e públicas -, que inclui moedas, medalhas, quadros, móveis, peças arqueológicas, artefatos indígenas, bandeiras e armas. Há também peças de “arte popular” e uma coleção de cordéis publicados entre 1940 e 2000 (950 exemplares).

Boa parte do acervo está exposto nas salas do Museu, em mostras de longa duração e em espaços de exposições temporárias que percorrem vários temas da História do Ceará, como o Memorial Frei Tito (2002). A cada mês, o Museu recebe uma média de três mil pessoas. “Os estudantes representam 80% de nossos visitantes”, informa Lopes.

Em 2007, o Museu do Ceará figurou entre as principais instituições do país, quando foi reconhecido por dois prêmios nacionais do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan): o primeiro lugar no edital do Programa Monumenta, na categoria educação patrimonial, e com o prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, na categoria divulgação do patrimônio. Este reconhecimento consolidaa instituição como um significativo espaço de educação, cultura e lazer, segundo os preceitos da museologia contemporânea.

Em 2008, o aniversário de 75 anos marca o começo de uma ampla programação no equipamento, que inclui oito novas publicações da Coleção “Outras Histórias”, uma reforma estrutural no prédio-monumento (com recursos do programa Prodetur), a distribuição para estudantes, visitantes e turistas de mais mil cordéis sobre o bode Iô-iô, além de uma intensa programação cultural que inclui cursos na Escola Livre de História (a partir de fevereiro) e contação de histórias do Ceará com os Agentes da Memória (programa Talentos do Ceará -Secult/Fecop - que dissemina e valoriza a história oral).

Todas estas programações acontecem nos dias sete ao longo do ano, com a apresentação de uma nova roupagem museológica às exposições permanentes. Assim, durante todos os meses de 2008, uma das salas do Museu será reinaugurada, baseada na “pedagogia do diálogo”, inspiração das reflexões do educador Paulo Freire, como parte de um programa educativo mais amplo que inclui visitas orientadas, estreitando a relação do Museu com a sala de aula e ainda outros espaços de construção do conhecimento e da cidadania.
DN
Postado por Fred Guilhon Marcadores:
terça-feira, 29 de janeiro de 2008 às 4:21:00 PM | 0 comentários  

FAIXAS:
01. Índio Quer Apito / Saca Rolha - Mr Catra
02. Cidade Maravilhosa / Marcha do Remador / Está Chegando a Hora - Mc Sapão
03. Mamãe, Eu Quero / Cabeleira do Zezé / Maria Sapatão - Gaiola das Popozudas
04. Me Dá um Dinheiro Aí / Atirei o Pau no Gato - Diazepan & Anderson Leornardo
05. Cachaça / Allah-la-ô / Tem Nego Bebo Aí - Gorila e Preto
06. Hino do Clube de Regatas Flamengo / Ta-hí ( Prá Você Gostar de Mim ) - Mc Buchecha - Mc Sapão - Mc Suellen
07. O Teu Cabelo Não Nega / Mulata Yê, Yê, Yê - Mc Buchecha
08. Trêm das Onze / Linda Morena - Mc Marcinho
09. Turma do Funil / Bandeira Branca - Bob Rum
10. Superfantástico / Ciranda, Cirandinha / Escravos de Jó - Latino
11. Coelhinho / Eu VI Papai Noel / se Eu Fosse um Peixinho - Latino
12. Cabelo do Saco - Mc Leozinho

Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,
domingo, 27 de janeiro de 2008 às 9:31:00 AM | 0 comentários  

1. Amor de Carnaval - Ricardo Chaves - Part. Esp.: Ivete Sangalo
2. Rock Tribal - Babado Novo
3. Nosso Amor É Lindo - Banda Eva
4. Chicleteiro Eu, Chicleteira Ela - Chiclete com Banana
5. Pout-pourri: Preta: Eu Sou Preto / Sorriso Negro - Daniela Mercury
6. Flores da Favela - Jauperí
7. Doidera - Bruno e Marrone - Part. Esp.: Durval Lelys
8. Onde Tem Balada - Jammil
9. Coraçao Tambor - Negra Cor
10. O Melhor de Nós Dois - Carlinhos Brown
11. Na Capoeira - Netinho
12. Caminhão da Alegria - Margareth Menezes
13. Lua de São Jorge - Banda Cheiro de Amor
14. Te Espero no Farol - Rapazolla
15. Àfrica - Vixe Mainha
16. Cachaça - Timbalada
17. Nirombá - Ara Ketu

Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,

1. Carnaval de Salvador
2. Eva
3. Só Eu e Você
4. Mútuo
5. Me Abraça
6. Não Precisa Mudar
7. Diz que Vai Voltar
8. Toda Linda
9. Rua
10. Reggae do Porto
11. Nosso Amor É Lindo
12. Coração Sem Tum Tum Tum
13. Se
14. Anjo
15. Faltando um Beijo
16. Pra Abalar
17. Traz Axé
18. Só Por Ti
19. Cartaz

Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,

1. Xô Xatanás - ao Vivo
2. Pra Lá de Bragadá
3. Cocobambu - ao Vivo
4. A Lenda
5. Amor Tropical / Eu Quero é Mais
6. Sereia
7. Manivel a - ao Vivo
8. Take It Easy - ao Vivo
9. A Dança da Tartaruga / pra Lá de Bragadá - ao Vivo
10. O Asa Chegou
11. Vacilou Eu como
12. Dança do Vampiro
13. Porto Seguro / Saber Legal - ao Vivo
14. Homem Cibernético
15. Pit Bull
16. Tenda da Feiticeira

Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,
1. Extravasa - Babado Novo
2. Na Capoeira - Netinho
3. Com Carinho - Araketu
4. Amor Pirei - Voa Dois
5. Não Precisa Mudar - Live - Ivete Sangalo - Saulo Fernandes (banda Eva)
6. Você Vai Pirar - Alexandre Peixe
7. Diz que Vai Voltar - Banda Eva
8. Pensando em Você - Babado Novo
9. A Gente se Combina ( Vixe Mainha Vai ) - Vixe Mainha
10. Mulher Brasileira ( Toda Boa ) - Psirico
11. Vou Trocar Meu Colar por um Beijo - Banda Chica Fé
12. Aê ( Viva a Festa ) - Capitão Axé
13. Mamoeiro - Parangolé
14. Bateu na Lata - Guig Gueto
15. Te Espero no Farol - Rapazolla
16. Rara e Bela - Live - Asa de Águia
Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,
Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,
quarta-feira, 9 de janeiro de 2008 às 2:54:00 PM | 0 comentários  
Postado por Fred Guilhon Marcadores:
Chico Anysio, literalmente, renasce para os seus fãs no DVD duplo ´Chico Especial!´, que comemora seus 40 anos de TV Globo. Fora da grande mídia, o maior expoente vivo do humor nacional reaparece numa coletânea que atravessa décadas, a partir dos anos 70, com imagens em preto-e-branco, coloridas, e garantia de riso e nostalgia

Quem acompanhou Chico em algum momento de sua trajetória, principalmente na Globo, certamente vai se impressionar (e arrepiar) ao reencontrar personagens inesquecíveis, como Painho, Tavares, Azambuja, Justo Veríssimo, Bozó, o contador de histórias Pantaleão, entre vários outros, em 5h de muita gargalhada. O especial é um lançamento da Globo Marcas e Som Livre.

Enquanto para os ´senhores´ de hoje é uma oportunidade de reviver um humor diferente dos descartáveis atuais, para as novas gerações, que não acompanharam o cearense, de Maranguape, no auge, é uma forma de conhecer essa história. ´O DVD, com toda certeza, representa isso, tem esse objetivo´, revela o humorista ao Zoeira.

No depoimento de abertura, Chico fala sobre o início inusitado de sua carreira. ´Eu sou artista, porque esqueci o tênis´, diz. No primeiro disco, vários quadros do programa ´Chico Anysio Show´, com criações exibidas de 1983 a 1989. Quatro galerias mostram os personagens mais marcantes do período.

Já no segundo disco, os fãs vão encontrar o programa do ´Festival 25 Anos´, com o melhor na década de 90, além de um apanhado de contos de fadas contados pelo cearense: ´A bela adormecida´, ´Ali Babá´, ´Chapeuzinho vermelho´ e ´A Branca de Neve´.

O Professor Raymundo, explica Chico, não está no DVD duplo. ´Faz parte do projeto de outro DVD, só dele´. Sobre outros projetos, o humorista, de 76 anos, comemora o livro, criado em parceria com Ziraldo, de caricaturas de seus personagens. Por outro lado, lamenta a idéia de um museu com suas ´criaturas´ não ter saído do papel. O local seria Maranguape, mas não houve apoio governamental, nem privado. ´O museu não deve sair mais´, constata.
Postado por Fred Guilhon Marcadores:

Um assaltante levou um tiro no peito, mas teve a vida salva pelo celular que estava no bolso de sua camisa.

O aparelho bloqueou o disparo e evitou que a bala penetrasse em seu peito.

O tiroteio aconteceu durante assalto a uma residência no Alto de Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo.

O vigia da rua percebeu o assalto e chamou a Polícia Militar.

Dos três assaltantes detidos, dois foram baleados. Uma mulher que também é apontada como integrante da quadrilha fugiu.

A polícia apreendeu com os três homens celulares, dinheiro, uma máquina fotográfica e duas armas.
Postado por Fred Guilhon Marcadores:

Produtores lançam, durante a feira de bebidas Horecava, em Amsterdã, na Holanda, um licor feito do extrato de cannabis (maconha).

A bebida contém 14,5% de álcool e já está disponível para venda a desde ontem, segunda-feira (7).

Que lombra doida...
Postado por Fred Guilhon Marcadores:
Postado por Fred Guilhon Marcadores: , ,

Clique AQUI para ver as fotos
Postado por Fred Guilhon Marcadores:
segunda-feira, 7 de janeiro de 2008 às 6:10:00 PM | 1 comentários  

01 - Sister Sledge - Lost In Music
02 - Chic - Le Freak
03 - Sylvester - You Make Me Feel
04 - Chaka Khan - I'm every woman
05 - candi staton - young hearts run free
06 - rose royce - is it love your after
07 - Stacy Lattisaw - Jump To The Beat
08 - Detroit Spinners - Working My Way Back To You
09 - Archie Bell & The Drells - Here I Go Again
10 - Cerrone - Supernature
11 - Trammps - Disco Inferno (Burn Baby Burn)
12 - Chic - Dance Dance Dance
13 - Candi Staton - Nights on broadway
14 - Narada Michael Walden - I Shoulda Loved Ya
15 - Detroit Spinners with Dionne Warwick - Then Came You
16 - Sheila & B Devotion - Spacer
17 - Sister Sledge - We Are Family
18 - Isaac Hayes - Theme FroM Shaft

Clique aqui:
Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,

Posto de Fiscalização Avançada, da CPRV, é feito com madeira fincadas e coberto por uma telha de amianto

Sobral. Está chamando atenção de quem trafega pela CE-178, na altura do Km 99, o contraste causado pelo luxo da Hilux que chegou à Sobral há cerca de 15 dias, e a estrutura física onde ficam os quatro policiais que trabalham no Posto de Fiscalização Avançada (PFA), da Companhia de Policiamento Rodoviário do Estado do Ceará (CPRV).

De um lado, portentosamente estacionado às margens da rodovia, a viatura SW4, da Toyota, avaliada em R$ 149 mil, equipada com minicomputador de bordo (GPS) e câmera de filmagem. Do outro, quatro linhas de madeira fincadas numa base de cimento, cobertas por uma telha de amianto, ajudada por uma lona surrada. Na estrutura imobiliária, um antigo carretel de madeira, quatro cadeiras de plástico e água numa garrafa de refrigerante de dois litros.

Mas, de acordo com o comandante da CPRV, Werisleik Pontes Matias, a dicotomia está com os dias contados. O tenente-coronel destacou que, até o final de janeiro, deste ano, serão construídas novas estruturas nos Postos Avançados, o que trará melhoria para as condições de trabalho dos policiais rodoviários estaduais.

“Existem situações precárias, sem instalações fixas adequadas mas, ainda esse mês, terá inicio a construção de novos postos. O projeto está lá, as plantas estão prontas. Vai mudar tudo, eles não ficarão mais às margens da CE, mas em canteiros centrais. Temos nove postos na mesma situação que o de Sobral, mas todos passarão por mudanças”, garantiu o comandante.

E destacou: “O que caracteriza um Posto Avançado é sua mobilidade. Eles não têm instalação fixa porque podem ser removidos para qualquer local. Não tem estrutura física porque são temporários”, disse o tenente, apesar de o Posto de Sobral estar no mesmo local há mais de três anos.

Novos equipamentos

Além da reestruturação nos Postos Avançados, o tenente-coronel Werisleik Matias adiantou que já estão licitados novos equipamentos e que, provavelmente, o Posto Avançado que atualmente se encontra em Sobral, pode ser transferido de lugar.

PREÇO

R$ 149 mil é o valor em que a viatura SW4, da Toyota, está avaliada. O veículo, o mesmo utilizado no Ronda do Quarteirão, está equipado com um computador de bordo (GPS) e uma câmera de filmagem.

DN
Postado por Fred Guilhon Marcadores:

Uma extensa programação marca os 75 anos do Museu do Ceará. As comemorações começam hoje com o lançamento de um livro sobre a história da instituição

A trajetória do Museu do Ceará começou em janeiro de 1933. Ao ser aberto ao público, funcionava nas dependências do Arquivo Público, na Rua 24 de Maio, no Centro de Fortaleza. Foi a primeira instituição museológica oficial do Estado. Ao longo do tempo, o acervo cresceu, novas sedes surgiram e o Museu passou por profundas mudanças. O espaço, hoje, é bem mais do que um abrigo para um rico acervo de peças de importante valor simbólico para o Estado. Incorporado ao cotidiano urbano dos fortalezenses, mesmo involuntariamente, o Museu promove uma reflexão crítica sobre a História do Ceará por meio de programas integrados de pesquisas museológicas, exposições, cursos, publicações e práticas pedagógicas.

“No início, a política do Museu era mais de nacionalizar, de promover a defesa da pátria. Estava mais ligado à história das elites, assim como todos os museus surgidos nos anos 30”, explica o diretor da instituição, professor Régis Lopes. Segundo ele, só a partir dos anos 90, começou a se pensar na relação museu e cidadania, museu e reflexão crítica, no sentido de favorecer a interpretação da história. Para o professor, a missão da instituição, agora, é muito clara: “Promover uma reflexão crítica da História do Ceará, por meio de exposições, publicações, cursos e palestras”.

O pesquisador defende a idéia do Museu como um centro cultural, que leve as pessoas a interpretar o passado do nosso Estado, de nosso povo. Quem visita o Museu do Ceará pode conhecer a luta de Frei Tito, religioso cearense que denunciou ao mundo a tortura praticada pela didatura militar brasileira (1964 - 1985). Mergulha na história do Caldeirão, que resultou no massacre de centenas de camponeses pelas balas e bombas lançadas por policiais civis e militares no Sul do Ceará. E marcha com os jagunços da Sedição de Juazeiro, que invadiram Fortaleza sob o comando do deputado Floro Bartolomeu e as bênçãos de Padre Cícero.

Todos voltam no tempo. Pode-se conhecer a Fortaleza de uma época em que as vias da cidade eram batizadas com a voz do cotidiano. Tempo da Rua Formosa (atual Barão do Rio Branco), do Beco da Apertada Hora (Governador Sampaio), Rua da Cachorra Magra (Marechal Deodoro), Rua da Alegria (Floriano Peixoto). No século passado, muitas vias ganharam novo batismo, recebendo nomes em homenagens a militares, políticos e religiosos de expressão no Estado.

As 15 mil peças que compõem o atual acervo do Museu do Ceará ajudam a contar a história do Estado e levam o cearense a se reconhecer um pouco mais. Na parte exposta do acervo, são encontradas muitas peças arqueológicas, como urnas mortuárias das principais tribos que habitavam a região antes da chegada dos portugueses. São encontradas peças alusivas ao maracatu, punhais de cangaceiros, rifles e revólveres da Guarda Nacional, documentos sobre a abolição dos escravos, pinturas e fotos que ilustram passagens marcantes da própria identidade cearense.

Obra cronológica

Depois de sete décadas e meia, o Museu tem sua própria história contada no livro “Museu do Ceará - 75 anos”, realizado pela Associação dos Amigos do Museu do Ceará. A obra será lançada hoje, às 18 horas, dando início à programação comemorativa pelo aniversário do Museu. Com organização de Antônio Luís Macêdo Silva Filho e Régis Lopes, o livro remonta a cronologia de fatos, textos, fotografias e arquivos compilados pelos historiadores João Paulo Vieira Neto, Alexandre Oliveira Gomes e Ana Amélia Rodrigues de Oliveira.


O Bode Io-iô, peça mais ilustre do Museu do Ceará, é o personagem principal da fábula criada pela historiadora Kênia Rios no segundo volume da coleção “Outras Historinhas”, com ilustrações de Marcos Vinúcius, que será lançado hoje, logo depois da apresentação do livro “Museu do Ceará - 75 anos”. O Bode Io-iô é a “face” mais visível de um rico acervo - resultado de compras e doações de particulares e públicas -, que inclui moedas, medalhas, quadros, móveis, peças arqueológicas, artefatos indígenas, bandeiras e armas. Há também peças de “arte popular” e uma coleção de cordéis publicados entre 1940 e 2000 (950 exemplares).

Boa parte do acervo está exposto nas salas do Museu, em mostras de longa duração e em espaços de exposições temporárias que percorrem vários temas da História do Ceará, como o Memorial Frei Tito (2002). A cada mês, o Museu recebe uma média de três mil pessoas. “Os estudantes representam 80% de nossos visitantes”, informa Lopes.

Em 2007, o Museu do Ceará figurou entre as principais instituições do país, quando foi reconhecido por dois prêmios nacionais do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan): o primeiro lugar no edital do Programa Monumenta, na categoria educação patrimonial, e com o prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, na categoria divulgação do patrimônio. Este reconhecimento consolidaa instituição como um significativo espaço de educação, cultura e lazer, segundo os preceitos da museologia contemporânea.

Em 2008, o aniversário de 75 anos marca o começo de uma ampla programação no equipamento, que inclui oito novas publicações da Coleção “Outras Histórias”, uma reforma estrutural no prédio-monumento (com recursos do programa Prodetur), a distribuição para estudantes, visitantes e turistas de mais mil cordéis sobre o bode Iô-iô, além de uma intensa programação cultural que inclui cursos na Escola Livre de História (a partir de fevereiro) e contação de histórias do Ceará com os Agentes da Memória (programa Talentos do Ceará -Secult/Fecop - que dissemina e valoriza a história oral).

Todas estas programações acontecem nos dias sete ao longo do ano, com a apresentação de uma nova roupagem museológica às exposições permanentes. Assim, durante todos os meses de 2008, uma das salas do Museu será reinaugurada, baseada na “pedagogia do diálogo”, inspiração das reflexões do educador Paulo Freire, como parte de um programa educativo mais amplo que inclui visitas orientadas, estreitando a relação do Museu com a sala de aula e ainda outros espaços de construção do conhecimento e da cidadania.
DN
Postado por Fred Guilhon Marcadores: