segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Carta chega com 60 anos de atraso, e no endereço errado


Uma carta que descrevia o estado de espírito nos Estados Unidos após a vitória de Harry S Truman nas eleições presidenciais ficou perdida por cerca de 60 anos, e reapareceu nesta semana na caixa postal de uma moradora de Kansas.

Xan Wedel encontrou a carta, com carimbo postal datado de 11 de novembro de 1948, no final de julho. O envelope estava marcado com "retornar ao remetente".

A missiva estava endereçada a Ruth Willisten, da cidade de Rockfall, Connecticut, mas jamais chegou a seu destino. A remetente era Gertrude Gilmore, que morava na casa hoje habitada por Xan Wedel em 1948.

Diz a carta: "a cidade está de luto desde a eleição", na qual Truman derrotou Thomas E. Dewey. Segundo Wedel, a residência foi construída pela família Gilmore em 1890. Gertrude seria uma das filhas do casal.

Wedel diz que vai tentar encontrar detalhes sobre a família que viveu por tantos anos na casa onde hoje ela mora. "Seria interessante descobrir se ainda há parentes ou descendentes na cidade, que possam contar a história por trás desta carta."
G1

Nenhum comentário:


Uma carta que descrevia o estado de espírito nos Estados Unidos após a vitória de Harry S Truman nas eleições presidenciais ficou perdida por cerca de 60 anos, e reapareceu nesta semana na caixa postal de uma moradora de Kansas.

Xan Wedel encontrou a carta, com carimbo postal datado de 11 de novembro de 1948, no final de julho. O envelope estava marcado com "retornar ao remetente".

A missiva estava endereçada a Ruth Willisten, da cidade de Rockfall, Connecticut, mas jamais chegou a seu destino. A remetente era Gertrude Gilmore, que morava na casa hoje habitada por Xan Wedel em 1948.

Diz a carta: "a cidade está de luto desde a eleição", na qual Truman derrotou Thomas E. Dewey. Segundo Wedel, a residência foi construída pela família Gilmore em 1890. Gertrude seria uma das filhas do casal.

Wedel diz que vai tentar encontrar detalhes sobre a família que viveu por tantos anos na casa onde hoje ela mora. "Seria interessante descobrir se ainda há parentes ou descendentes na cidade, que possam contar a história por trás desta carta."
G1
Postado por Fred Guilhon Marcadores:

0 comentários: