segunda-feira, 12 de março de 2007

Mundo das marcas: Estrela - Um Mundo de Encanto


A mais tradicional e conhecida fábrica de brinquedos brasileira, a ESTRELA, foi fundada em 1937, como uma modesta fábrica de bonecas de pano e carrinhos de madeira, em poucos anos, acompanhando a evolução industrial do país, passou a ser uma indústria automatizada e a produzir brinquedos também de plásticos, metal e outros materiais.

Ao longo dos anos a ESTRELA construiu a força de sua marca combinando qualidade, pioneirismo e inovação na oferta de brinquedos ao mercado brasileiro.

A trajetória da empresa é identificada por inúmeros marcos de sua liderança, tendo sido, inclusive, uma das primeiras companhias brasileiras a abrir seu capital em 1944 constituindo-se em sociedade anônima.

Na década de 40 apresentou o primeiro brinquedo de madeira com movimento e som, fabricado no país, o cachorro Mimoso.

Logo depois, vieram outras inovações como os jogos Pega Varetas e Banco Imobiliário, este último é a versão brasileira do Monopoly, o mais vendido jogo de tabuleiro do mundo.

As bonecas, que até o final dos anos 40 eram feitas em uma massa inquebrável, passaram a ser de plástico a partir da Pupi, uma boneca articulada de poliestireno que “dormia e chorava”, lançada no início da década de 50.

Em seguida vieram os bichinhos e bonecos de vinil, mais flexíveis, indicados para crianças pequenas e bebês.

Nos anos 60 a linha foi ampliada com outros lançamentos inovadores, como a primeira boneca mecânica, a Gui Gui, que “ria” quando a criança abria e fechava seus braços.

Também é dessa época a Beijoca, que “soltava beijinhos”.

A ESTRELA introduziu, nesse período, outro conceito de grande sucesso, o de fashion doll, com a Susi, uma boneca que foi querida por diversas gerações de meninas brasileiras até 1985, quando deixou de ser fabricada, com mais de 20 milhões de unidades distribuídas. Voltando a ser lançada em 1997.

Também é desta época a Amiguinha, que ficou famosa por seu tamanho - 90 centímetros, e que hoje está de volta ao mercado em versão atualizada.

Ainda nesta década, outra inovação importante da ESTRELA foi o lançamento de brinquedos elétricos, dentre os quais é marcante o Autorama com pistas de corrida e carrinhos para desafiar a habilidade dos garotos.

O nome Autorama passou, em razão do sucesso do produto, a ser sinônimo de brinquedos ligados à velocidade com direito, inclusive, à citação no Dicionário Aurélio.

Foi assinado por grandes corredores brasileiros, como Emerson Fittipaldi, José Carlos Pacce, Nelson Piquet, Ayrton Senna e Rubens Barrichello.

Em 1970, lançou, entre outros tantos brinquedos, as bonecas Emília, do Sítio do Pica-Pau Amarelo, Feijãozinho, e o boneco que viria a se tornar o grande namorado da Susi, o Beto.

A ESTRELA passou a trabalhar o conceito de figuras de ação nessa década. Essa categoria teve seu marco com o lançamento do Falcon, o primeiro boneco para meninos. O grande sucesso dessa coleção foi Falcon Olhos de Águia, que movimentava os olhos, quando era apertado um botão na sua nuca.

Em seguida surgiram os carros radio-controlados, que teve o Stratus, lançado em 1979, como primeiro modelo.

Em 1980, mais um marco do pioneirismo: a chegada do Genius, conhecido na época como “o computador que fala”, primeiro brinquedo eletrônico do País.

A eletrônica também foi incorporada às bonecas, que passaram a ser mais interativas em modelos como a Amore, de 1986. Outras inovações surgiram nessa linha, como a Sapequinha, primeira a utilizar fibra óptica e foto sensor para “perceber” a aproximação da criança, e a Bate Palminha, que “cantava” quando suas mãos juntavam-se.

Em 2003 colocaram no mercado mais de 250 lançamentos, entre novidades tecnológicas, jogos, bonecas, brinquedos pré-escolares, figuras de ação, veículos rádio-controlados e mais de 30 novas versões de Susi.-

O Museu

Para mostrar parte de sua trajetória de sucesso, a ESTRELA inaugurou em janeiro de 2001 a Casa dos Sonhos Estrela. Instalada próxima ao Parque do Ibirapuera, a Casa dos Sonhos, além de abrigar o Museu do Brinquedo com a história da Companhia contada por meio de brinquedos produzidos a cada década desde os anos 30, funciona como um espaço de entretenimento e lazer para crianças e adultos.

* Desde a primeira boneca, a ESTRELA já produziu mais de 25 mil brinquedos diferentes, num total de mais de 1,2 bilhão de unidades que foram distribuídas em todo o País.

Nenhum comentário:


A mais tradicional e conhecida fábrica de brinquedos brasileira, a ESTRELA, foi fundada em 1937, como uma modesta fábrica de bonecas de pano e carrinhos de madeira, em poucos anos, acompanhando a evolução industrial do país, passou a ser uma indústria automatizada e a produzir brinquedos também de plásticos, metal e outros materiais.

Ao longo dos anos a ESTRELA construiu a força de sua marca combinando qualidade, pioneirismo e inovação na oferta de brinquedos ao mercado brasileiro.

A trajetória da empresa é identificada por inúmeros marcos de sua liderança, tendo sido, inclusive, uma das primeiras companhias brasileiras a abrir seu capital em 1944 constituindo-se em sociedade anônima.

Na década de 40 apresentou o primeiro brinquedo de madeira com movimento e som, fabricado no país, o cachorro Mimoso.

Logo depois, vieram outras inovações como os jogos Pega Varetas e Banco Imobiliário, este último é a versão brasileira do Monopoly, o mais vendido jogo de tabuleiro do mundo.

As bonecas, que até o final dos anos 40 eram feitas em uma massa inquebrável, passaram a ser de plástico a partir da Pupi, uma boneca articulada de poliestireno que “dormia e chorava”, lançada no início da década de 50.

Em seguida vieram os bichinhos e bonecos de vinil, mais flexíveis, indicados para crianças pequenas e bebês.

Nos anos 60 a linha foi ampliada com outros lançamentos inovadores, como a primeira boneca mecânica, a Gui Gui, que “ria” quando a criança abria e fechava seus braços.

Também é dessa época a Beijoca, que “soltava beijinhos”.

A ESTRELA introduziu, nesse período, outro conceito de grande sucesso, o de fashion doll, com a Susi, uma boneca que foi querida por diversas gerações de meninas brasileiras até 1985, quando deixou de ser fabricada, com mais de 20 milhões de unidades distribuídas. Voltando a ser lançada em 1997.

Também é desta época a Amiguinha, que ficou famosa por seu tamanho - 90 centímetros, e que hoje está de volta ao mercado em versão atualizada.

Ainda nesta década, outra inovação importante da ESTRELA foi o lançamento de brinquedos elétricos, dentre os quais é marcante o Autorama com pistas de corrida e carrinhos para desafiar a habilidade dos garotos.

O nome Autorama passou, em razão do sucesso do produto, a ser sinônimo de brinquedos ligados à velocidade com direito, inclusive, à citação no Dicionário Aurélio.

Foi assinado por grandes corredores brasileiros, como Emerson Fittipaldi, José Carlos Pacce, Nelson Piquet, Ayrton Senna e Rubens Barrichello.

Em 1970, lançou, entre outros tantos brinquedos, as bonecas Emília, do Sítio do Pica-Pau Amarelo, Feijãozinho, e o boneco que viria a se tornar o grande namorado da Susi, o Beto.

A ESTRELA passou a trabalhar o conceito de figuras de ação nessa década. Essa categoria teve seu marco com o lançamento do Falcon, o primeiro boneco para meninos. O grande sucesso dessa coleção foi Falcon Olhos de Águia, que movimentava os olhos, quando era apertado um botão na sua nuca.

Em seguida surgiram os carros radio-controlados, que teve o Stratus, lançado em 1979, como primeiro modelo.

Em 1980, mais um marco do pioneirismo: a chegada do Genius, conhecido na época como “o computador que fala”, primeiro brinquedo eletrônico do País.

A eletrônica também foi incorporada às bonecas, que passaram a ser mais interativas em modelos como a Amore, de 1986. Outras inovações surgiram nessa linha, como a Sapequinha, primeira a utilizar fibra óptica e foto sensor para “perceber” a aproximação da criança, e a Bate Palminha, que “cantava” quando suas mãos juntavam-se.

Em 2003 colocaram no mercado mais de 250 lançamentos, entre novidades tecnológicas, jogos, bonecas, brinquedos pré-escolares, figuras de ação, veículos rádio-controlados e mais de 30 novas versões de Susi.-

O Museu

Para mostrar parte de sua trajetória de sucesso, a ESTRELA inaugurou em janeiro de 2001 a Casa dos Sonhos Estrela. Instalada próxima ao Parque do Ibirapuera, a Casa dos Sonhos, além de abrigar o Museu do Brinquedo com a história da Companhia contada por meio de brinquedos produzidos a cada década desde os anos 30, funciona como um espaço de entretenimento e lazer para crianças e adultos.

* Desde a primeira boneca, a ESTRELA já produziu mais de 25 mil brinquedos diferentes, num total de mais de 1,2 bilhão de unidades que foram distribuídas em todo o País.
Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,

0 comentários: