sábado, 10 de março de 2007

Ponto G do acordo

Clique na imagem para ampliar
.
SÃO PAULO - Os presidentes do Brasil e dos Estados Unidos, Luiz Inácio Lula da Silva e George W. Bush, afirmaram estar comprometidos com o sucesso da Rodada de Doha. Durante entrevista concedida há pouco no Hotel Hilton, em São Paulo, Lula fez uma provocação ao colega norte-americano: "Precisamos dar uma ordem aos nossos ministros: façam o acordo o mais rápido possível".

Segundo Lula, se o Brasil e os EUA se unirem, fica mais fácil convencer os outros países a chegarem a um acordo nas negociações multilaterais.

Bush respondeu à provocação afirmando: "Eu me comprometo como o senhor se comprometeu. Nós vamos trancar os ministros de comércio em uma sala. Será um trabalho duro, muito trabalho, até que façamos as concessões para que todos sejam ganhadores.

"O presidente Lula criou um clima de descontração e risadas na platéia e no próprio presidente americano quando afirmou ter confiança de que as negociações chegariam "ao ponto G do acordo".

Nenhum comentário:

sábado, 10 de março de 2007 às 12:10:00 AM |  
Clique na imagem para ampliar
.
SÃO PAULO - Os presidentes do Brasil e dos Estados Unidos, Luiz Inácio Lula da Silva e George W. Bush, afirmaram estar comprometidos com o sucesso da Rodada de Doha. Durante entrevista concedida há pouco no Hotel Hilton, em São Paulo, Lula fez uma provocação ao colega norte-americano: "Precisamos dar uma ordem aos nossos ministros: façam o acordo o mais rápido possível".

Segundo Lula, se o Brasil e os EUA se unirem, fica mais fácil convencer os outros países a chegarem a um acordo nas negociações multilaterais.

Bush respondeu à provocação afirmando: "Eu me comprometo como o senhor se comprometeu. Nós vamos trancar os ministros de comércio em uma sala. Será um trabalho duro, muito trabalho, até que façamos as concessões para que todos sejam ganhadores.

"O presidente Lula criou um clima de descontração e risadas na platéia e no próprio presidente americano quando afirmou ter confiança de que as negociações chegariam "ao ponto G do acordo".
Postado por Fred Guilhon Marcadores: , ,

0 comentários: