segunda-feira, 12 de março de 2007

Proteja seu PC das chuvas



O período chuvoso com o qual estamos convivendo atualmente não traz somente transtornos ao trânsito e danos às ruas esburacadas. Quem possui aparelhos eletrônicos sensíveis, como os computadores, também pode acabar tendo prejuízos.

Por conta disso, algumas precauções podem ser úteis para diminuir os riscos de ter seu equipamento danificado com oscilações de tensão na rede elétrica (fatos típicos dessa temporada chuvosa) ou mesmo com a oxidação e desgaste dos componentes eletrônicos.

De acordo com o consultor de informática Nagibe Maia, os componentes que mais apresentam problemas nessa época são a fonte, a memória e a placa-mãe. ‘‘Nesse período, já atendi dois clientes com placas-mãe queimadas, sete com problemas na memória e seis com problemas na fonte’’, contabiliza o consultor. Em todos os casos, o problema se apresenta quando o computador não inicializa o sistema. ‘‘Até computadores bons podem apresentar problemas’’, comenta Maia.

Às vezes, quando o componente não chega a queimar — sendo apenas afetado pela umidade —, basta fazer uma limpeza interna no PC. Se não tiver conhecimento ou prática na manutenção de seu computador, o usuário deve procurar um técnico de sua confiança para proceder a limpeza interna da máquina periodicamente.

Nos pentes de memória RAM, a limpeza pode ser feita passando uma borracha branca (daquelas de material escolar) nos contatos.

Quanto à fonte do PC, que pode não estar ligando apenas por conta da umidade, o executivo Luís Sucupira, da fabricante de equipamentos de proteção elétrica Microsol, dá a dica: ‘‘É só dar um calorzinho na fonte.

Você liga um secador de cabelo à distância de um palmo e deixa secando a fonte por uns 30 segundos. Na maioria das vezes isso funciona, se a fonte não estiver queimada’’.

Segundo o consultor Nagibe Maia, o acúmulo de umidade nos componentes internos do PC pode ser evitado com a colocação de um ou dois pequenos sacos de gel de sílica dentro do gabinete.
Esse material consegue absorver a umidade, poupando as peças do PC de desgastes e maus contatos da oxidação. ‘‘A sílica ajuda, mas o usuário deve ficar trocando periodicamente’’, recomenda.

Desconectar

Luís Sucupira, da Microsol, alerta para o fato de que muitas vezes o computador e outros equipamentos eletrônicos de áudio e vídeo podem queimar mesmo estando desligados (mas ainda conectados à tomada da rede elétrica).

‘‘O ideal é desligar e desconectar o equipamento’’, aconselha. A justificativa são os problemas na rede elétrica causado por raios, comuns durante as tempestades.

‘‘Cuidado com as gambiarras de aterramento.

Aquele preguinho enfiado no chão não serve de nada’’, adverte Sucupira.

Fio terra ligado no neutro do prédio é outro engano.

‘‘Aquele fio serve para equipamentos movidos a motores elétricos e para o pára-raios.

Equipamentos eletrônicos não suportam esses tipos de ruídos’’, alerta.

Para computadores, Sucupira recomenda o uso de um módulo isolador (que substitui o aterramento e custa cerca de R$ 140) ou de um aparelho no-break (que mantém o equipamento funcionando em caso de falhas na energia elétrica; custa cerca de R$ 250).

Para aparelhos de áudio, vídeo e eletrodomésticos, a recomendação é o uso de um estabilizador.

Assim, ao invés de queimar um controlador e ter um prejuízo de R$ 300, o usuário terá queimado somente o fusível do estabilizador, o que vai lhe custar apenas R$ 0,15.

Brasil tem alta incidência de raiosLuís Sucupira, executivo da Microsol, empresa cearense fabricante de equipamentos de proteção elétrica, destaca que no Brasil a incidência de raios é de 60 milhões por ano - o dobro do que acontece nos Estados Unidos.

Os prejuízos são de cerca de R$ 600 milhões para o setor elétrico, cerca de R$ 150 milhões para o comércio e R$ 50 milhões para as seguradoras.

´Gera um prejuízo de R$ 20 por cada raio´, cita o executivo.

Ele adianta ainda que, segundo uma pesquisa realizada pela revista Setor Elétrico, 89% das instalações elétricas residenciais foram reprovadas.

´Ou seja, a maioria das residências está vulnerável´, afirma o executivo da Microsol.

DICAS

Faça ou chame um técnico para fazer uma limpeza periódica na parte interna do gabinete do PC. Isso evita o acúmulo de sujeira e de umidade que podem levar à oxidação e inutilização dos componentes.

Durante tempestades não basta somente desligar o PC.

Para livrá-lo de problemas com os raios, a solução é desconectá-lo da tomada e da linha telefônica.

O mesmo procedimento também deve ser feito quando o usuário viajar.

O acúmulo de umidade nos componentes internos do PC pode ser evitado ou atenuado com a colocação de um ou dois pequenos sacos de gel de sílica dentro do gabinete.

O aterramento deve ser bem feito. Neste caso não adianta fazer gambiarras. Na ausência de um bom aterramento, a solução pode ser o uso de um módulo isolador estabilizado.

O uso de um no-break também é recomendado, para evitar danos ao equipamento e perda de dados quando ocorrer falha no fornecimento de energia elétrica enquanto o aparelho estiver em uso.

Nenhum comentário:

segunda-feira, 12 de março de 2007 às 8:10:00 AM |  


O período chuvoso com o qual estamos convivendo atualmente não traz somente transtornos ao trânsito e danos às ruas esburacadas. Quem possui aparelhos eletrônicos sensíveis, como os computadores, também pode acabar tendo prejuízos.

Por conta disso, algumas precauções podem ser úteis para diminuir os riscos de ter seu equipamento danificado com oscilações de tensão na rede elétrica (fatos típicos dessa temporada chuvosa) ou mesmo com a oxidação e desgaste dos componentes eletrônicos.

De acordo com o consultor de informática Nagibe Maia, os componentes que mais apresentam problemas nessa época são a fonte, a memória e a placa-mãe. ‘‘Nesse período, já atendi dois clientes com placas-mãe queimadas, sete com problemas na memória e seis com problemas na fonte’’, contabiliza o consultor. Em todos os casos, o problema se apresenta quando o computador não inicializa o sistema. ‘‘Até computadores bons podem apresentar problemas’’, comenta Maia.

Às vezes, quando o componente não chega a queimar — sendo apenas afetado pela umidade —, basta fazer uma limpeza interna no PC. Se não tiver conhecimento ou prática na manutenção de seu computador, o usuário deve procurar um técnico de sua confiança para proceder a limpeza interna da máquina periodicamente.

Nos pentes de memória RAM, a limpeza pode ser feita passando uma borracha branca (daquelas de material escolar) nos contatos.

Quanto à fonte do PC, que pode não estar ligando apenas por conta da umidade, o executivo Luís Sucupira, da fabricante de equipamentos de proteção elétrica Microsol, dá a dica: ‘‘É só dar um calorzinho na fonte.

Você liga um secador de cabelo à distância de um palmo e deixa secando a fonte por uns 30 segundos. Na maioria das vezes isso funciona, se a fonte não estiver queimada’’.

Segundo o consultor Nagibe Maia, o acúmulo de umidade nos componentes internos do PC pode ser evitado com a colocação de um ou dois pequenos sacos de gel de sílica dentro do gabinete.
Esse material consegue absorver a umidade, poupando as peças do PC de desgastes e maus contatos da oxidação. ‘‘A sílica ajuda, mas o usuário deve ficar trocando periodicamente’’, recomenda.

Desconectar

Luís Sucupira, da Microsol, alerta para o fato de que muitas vezes o computador e outros equipamentos eletrônicos de áudio e vídeo podem queimar mesmo estando desligados (mas ainda conectados à tomada da rede elétrica).

‘‘O ideal é desligar e desconectar o equipamento’’, aconselha. A justificativa são os problemas na rede elétrica causado por raios, comuns durante as tempestades.

‘‘Cuidado com as gambiarras de aterramento.

Aquele preguinho enfiado no chão não serve de nada’’, adverte Sucupira.

Fio terra ligado no neutro do prédio é outro engano.

‘‘Aquele fio serve para equipamentos movidos a motores elétricos e para o pára-raios.

Equipamentos eletrônicos não suportam esses tipos de ruídos’’, alerta.

Para computadores, Sucupira recomenda o uso de um módulo isolador (que substitui o aterramento e custa cerca de R$ 140) ou de um aparelho no-break (que mantém o equipamento funcionando em caso de falhas na energia elétrica; custa cerca de R$ 250).

Para aparelhos de áudio, vídeo e eletrodomésticos, a recomendação é o uso de um estabilizador.

Assim, ao invés de queimar um controlador e ter um prejuízo de R$ 300, o usuário terá queimado somente o fusível do estabilizador, o que vai lhe custar apenas R$ 0,15.

Brasil tem alta incidência de raiosLuís Sucupira, executivo da Microsol, empresa cearense fabricante de equipamentos de proteção elétrica, destaca que no Brasil a incidência de raios é de 60 milhões por ano - o dobro do que acontece nos Estados Unidos.

Os prejuízos são de cerca de R$ 600 milhões para o setor elétrico, cerca de R$ 150 milhões para o comércio e R$ 50 milhões para as seguradoras.

´Gera um prejuízo de R$ 20 por cada raio´, cita o executivo.

Ele adianta ainda que, segundo uma pesquisa realizada pela revista Setor Elétrico, 89% das instalações elétricas residenciais foram reprovadas.

´Ou seja, a maioria das residências está vulnerável´, afirma o executivo da Microsol.

DICAS

Faça ou chame um técnico para fazer uma limpeza periódica na parte interna do gabinete do PC. Isso evita o acúmulo de sujeira e de umidade que podem levar à oxidação e inutilização dos componentes.

Durante tempestades não basta somente desligar o PC.

Para livrá-lo de problemas com os raios, a solução é desconectá-lo da tomada e da linha telefônica.

O mesmo procedimento também deve ser feito quando o usuário viajar.

O acúmulo de umidade nos componentes internos do PC pode ser evitado ou atenuado com a colocação de um ou dois pequenos sacos de gel de sílica dentro do gabinete.

O aterramento deve ser bem feito. Neste caso não adianta fazer gambiarras. Na ausência de um bom aterramento, a solução pode ser o uso de um módulo isolador estabilizado.

O uso de um no-break também é recomendado, para evitar danos ao equipamento e perda de dados quando ocorrer falha no fornecimento de energia elétrica enquanto o aparelho estiver em uso.
Postado por Fred Guilhon Marcadores: , ,

0 comentários: