quarta-feira, 14 de março de 2007

Irã condena filme de Rodrigo Santoro e prevê protestos mundiais

Clique na imagem para ampliar
.
Apesar de faturar US$ 70 milhões em sua estréia nos Estados Unidos, o filme “300”, que tem o ator brasileiro Rodrigo Santoro no elenco, não está agradando os iranianos.

“Os Estados Unidos sempre tentaram humilhar o Irã e sua rica identidade cultural”, afirmou Javad Shamghadri, consultor cultural do presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad.

O filme, baseado nos quadrinhos de Frank Miller, mostra a batalha de Termópilas, na qual 300 espartanos enfrentam o exército persa.

Rodrigo Santoro faz o imperador persa Xerxes, que é retratado como um vilão, além de um pouco efeminado, em contraste com os nobres e vigorosos espartanos.

A imprensa local fez coro. O jornal “Ayende-No” reclama que “300” mostra “os iranianos como demônios sem cultura ou humanidade, que só pensam em atacar outras nações e matar pessoas.”

E o Hamshahri, o jornal de maior circulação no Irã, disse que o filme “irá gerar uma onda de protestos em todo o mundo.

Iranianos que moram nos Estados Unidos e Europa não vão ficar indiferentes a este insulto.”

Nenhum comentário:

Clique na imagem para ampliar
.
Apesar de faturar US$ 70 milhões em sua estréia nos Estados Unidos, o filme “300”, que tem o ator brasileiro Rodrigo Santoro no elenco, não está agradando os iranianos.

“Os Estados Unidos sempre tentaram humilhar o Irã e sua rica identidade cultural”, afirmou Javad Shamghadri, consultor cultural do presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad.

O filme, baseado nos quadrinhos de Frank Miller, mostra a batalha de Termópilas, na qual 300 espartanos enfrentam o exército persa.

Rodrigo Santoro faz o imperador persa Xerxes, que é retratado como um vilão, além de um pouco efeminado, em contraste com os nobres e vigorosos espartanos.

A imprensa local fez coro. O jornal “Ayende-No” reclama que “300” mostra “os iranianos como demônios sem cultura ou humanidade, que só pensam em atacar outras nações e matar pessoas.”

E o Hamshahri, o jornal de maior circulação no Irã, disse que o filme “irá gerar uma onda de protestos em todo o mundo.

Iranianos que moram nos Estados Unidos e Europa não vão ficar indiferentes a este insulto.”
Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,

0 comentários: