segunda-feira, 10 de março de 2008

Notebook cearense


Agora, não são apenas os computadores de mesa (desktops) que são montados e vendidos no Ceará com a marca de lojas locais. A empresa cearense Ibyte já está produzindo os primeiros computadores portáteis (notebooks) fabricados no Estado.

Já à venda nas lojas da empresa em Fortaleza, os notebooks ‘‘made in Ceará’’ estão sendo lançados em dois modelos, batizados de Fly-I 216 e Fly-I 220. Com visual elegante, na cor branca, acompanhados de itens como webcam integrada, leitor de impressão digital, tela widescreen de 12 polegadas e gravador de DVD, ambos os modelos são voltados para o chamado segmento ‘‘high-end’’ — destinado a usuários que buscam equipamentos de alto-desempenho.

Essa característica se apresenta até mesmo na configuração do primeiro modelo de entrada, o Fly-I 216, que vem com processador de dois núcleos Intel Core 2 Duo de 1,66 GHz, memória RAM de 2 GB e disco rígido Sata de 160 GB. O sistema operacional escolhido pela equipe da Ibyte para comandar o hardware é o Windows Vista na versão Home Premium. Já o modelo Fly-I 220 tem como diferencial o processador Core 2 Duo de 2 GHz e a memória RAM de 4 GB. O Fly-I 216 tem preço de R$ 3.399, enquanto que o modelo Fly-I 220 custa R$ 3.799.

Sobre a opção por ofertar notebooks para o segmento high-end, em um mercado onde despontam as vendas de portáteis mais simples e baratos (por volta de R$ 1 mil), o gerente de compras da Ibyte, Olívio Mont’Alverne destaca que os dois modelos se diferenciam dos demais no quesito custo-benefício. ‘‘Não há notebooks com 4GB de memória e outros recursos pelo preço que oferecemos’’, diz o executivo da empresa cearense.

Rivais no segmento

Um modelo semelhante aos dois lançados pela Ibyte, o E200 da LG — que vem com tela de 12,1’’, processador Intel Dual Core T2330, 2 GB de memória RAM, disco rígido de 120 GB, gravador de DVD e webcam integrada —, tem preço sugerido de R$ 3.699. Já um Sony Vaio SZ770, com Core 2 Duo T8300, 2 GB de RAM, 200 GB de HD, gravador de DVD, tela de 13’’ e placa de vídeo GeForce 8400M custa R$ 7.499.

Apesar de focar seus lançamentos no segmento de alto-desempenho, a Ibyte não descarta a oferta de modelos mais básicos e baratos no futuro. Segundo Olívio Mont’Alverne, o lançamento de novos modelos de portáteis da marca cearense vai depender da demanda do mercado. ‘‘Vamos analisar as duas primeiras semanas e, de acordo com a demanda, podemos lançar modelos mais baratos’’, diz o gerente.

O desenvolvimento dos notebooks cearenses resultou de um trabalho de seis meses na Ibyte. O processo envolveu a definição da configuração ideal, a escolha dos componentes — que, com exceção da memória e do HD, são importados da China e Estados Unidos — e a fase de testes, realizada no último mês de fevereiro. Segundo Olívio Mont’Alverne, o nome escolhido para os modelos (‘‘Fly’’, que é ‘‘voar’’ em inglês) reflete bem os conceitos de leveza, velocidade e compacidade que a empresa buscou priorizar na criação do portátil.

A empresa já solicitou ao governo federal a aprovação do seu PPB (Processo de Produção Básica) para a produção de notebooks, com o objetivo de garantir a isenção de impostos prevista para o setor de acordo com a ‘‘MP do Bem’’ (Medida Provisória 255). Com uma fábrica localizada em Fortaleza, a Ibyte já conta com o PPB para a produção de computadores de mesa da mesma marca. Como faz com seus desktops, a empresa espera ainda expandir os pontos de venda de seus notebooks, disponibilizando-os em hipermercados, magazines e outras lojas.

RECURSOS

Processador: Intel Core 2 Duo de 1,66 GHz e 2,0 GHz
Memória: 2 GB ou 4 GB de RAM
Disco rígido: 160 GB
Tela: LCD widescreen 12´
Sistema: Windows Vista Home Premium
Bateria: Seis células, com autonomia de 2 a 3 horas
Adicionais: Webcam de 2 megapixels integrada e leitor de impressão digital (para incrementar a segurança no login)

Nenhum comentário:

segunda-feira, 10 de março de 2008 às 8:16:00 AM |  

Agora, não são apenas os computadores de mesa (desktops) que são montados e vendidos no Ceará com a marca de lojas locais. A empresa cearense Ibyte já está produzindo os primeiros computadores portáteis (notebooks) fabricados no Estado.

Já à venda nas lojas da empresa em Fortaleza, os notebooks ‘‘made in Ceará’’ estão sendo lançados em dois modelos, batizados de Fly-I 216 e Fly-I 220. Com visual elegante, na cor branca, acompanhados de itens como webcam integrada, leitor de impressão digital, tela widescreen de 12 polegadas e gravador de DVD, ambos os modelos são voltados para o chamado segmento ‘‘high-end’’ — destinado a usuários que buscam equipamentos de alto-desempenho.

Essa característica se apresenta até mesmo na configuração do primeiro modelo de entrada, o Fly-I 216, que vem com processador de dois núcleos Intel Core 2 Duo de 1,66 GHz, memória RAM de 2 GB e disco rígido Sata de 160 GB. O sistema operacional escolhido pela equipe da Ibyte para comandar o hardware é o Windows Vista na versão Home Premium. Já o modelo Fly-I 220 tem como diferencial o processador Core 2 Duo de 2 GHz e a memória RAM de 4 GB. O Fly-I 216 tem preço de R$ 3.399, enquanto que o modelo Fly-I 220 custa R$ 3.799.

Sobre a opção por ofertar notebooks para o segmento high-end, em um mercado onde despontam as vendas de portáteis mais simples e baratos (por volta de R$ 1 mil), o gerente de compras da Ibyte, Olívio Mont’Alverne destaca que os dois modelos se diferenciam dos demais no quesito custo-benefício. ‘‘Não há notebooks com 4GB de memória e outros recursos pelo preço que oferecemos’’, diz o executivo da empresa cearense.

Rivais no segmento

Um modelo semelhante aos dois lançados pela Ibyte, o E200 da LG — que vem com tela de 12,1’’, processador Intel Dual Core T2330, 2 GB de memória RAM, disco rígido de 120 GB, gravador de DVD e webcam integrada —, tem preço sugerido de R$ 3.699. Já um Sony Vaio SZ770, com Core 2 Duo T8300, 2 GB de RAM, 200 GB de HD, gravador de DVD, tela de 13’’ e placa de vídeo GeForce 8400M custa R$ 7.499.

Apesar de focar seus lançamentos no segmento de alto-desempenho, a Ibyte não descarta a oferta de modelos mais básicos e baratos no futuro. Segundo Olívio Mont’Alverne, o lançamento de novos modelos de portáteis da marca cearense vai depender da demanda do mercado. ‘‘Vamos analisar as duas primeiras semanas e, de acordo com a demanda, podemos lançar modelos mais baratos’’, diz o gerente.

O desenvolvimento dos notebooks cearenses resultou de um trabalho de seis meses na Ibyte. O processo envolveu a definição da configuração ideal, a escolha dos componentes — que, com exceção da memória e do HD, são importados da China e Estados Unidos — e a fase de testes, realizada no último mês de fevereiro. Segundo Olívio Mont’Alverne, o nome escolhido para os modelos (‘‘Fly’’, que é ‘‘voar’’ em inglês) reflete bem os conceitos de leveza, velocidade e compacidade que a empresa buscou priorizar na criação do portátil.

A empresa já solicitou ao governo federal a aprovação do seu PPB (Processo de Produção Básica) para a produção de notebooks, com o objetivo de garantir a isenção de impostos prevista para o setor de acordo com a ‘‘MP do Bem’’ (Medida Provisória 255). Com uma fábrica localizada em Fortaleza, a Ibyte já conta com o PPB para a produção de computadores de mesa da mesma marca. Como faz com seus desktops, a empresa espera ainda expandir os pontos de venda de seus notebooks, disponibilizando-os em hipermercados, magazines e outras lojas.

RECURSOS

Processador: Intel Core 2 Duo de 1,66 GHz e 2,0 GHz
Memória: 2 GB ou 4 GB de RAM
Disco rígido: 160 GB
Tela: LCD widescreen 12´
Sistema: Windows Vista Home Premium
Bateria: Seis células, com autonomia de 2 a 3 horas
Adicionais: Webcam de 2 megapixels integrada e leitor de impressão digital (para incrementar a segurança no login)
Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,

0 comentários: