quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Bronca no Chávez (Arnaldo Jabor)

Pena que não haja um rei português para dar um esculacho na malandragem de Brasília.

Na América Latina há uma tradição de respeito para com o rei da Espanha e vice versa. A Espanha sempre comerciou com Cuba, mesmo durante o franquismo.

Uma vez , um ex-presidente me contou que num jantar dessas reuniões ibero-americanas, tava todo mundo meio de porre, quando de repente o rei Juan Carlos bateu na mesa e berrou: “Coño Fidel, que piensas hacer con esta porquería de isla?”

E...Fidel riu amarelo. Esta bronca no Chávez foi ótima para ferir o prestígio desse fascista que se diz a favor do povo. Todos têm agüentado suas grossuras, em nome da diplomacia.

O Lula que é esperto já sacou que alí mora o perigo, e graças a Deus, descobrimos gás que nos deu moral para não precisarmos da flatulência que emana lá do gordo ditador.

E a Venezuela vai seguir a receita do bolo maldito: a economia vai quebrar, vem inflação, desabastecimento, protestos, que já começaram, e finalmente provocações guerreiras para unir as massas, já anunciadas contra a guiana.

O cala a boca do rei é bom também para dar um toque nos intelectuais otários da Europa e daqui que acham que Chávez é "de esquerda".

Pena que não haja um rei português para dar um esculacho na malandragem de Brasília.

Nenhum comentário:

quinta-feira, 22 de novembro de 2007 às 7:35:00 AM |  
Pena que não haja um rei português para dar um esculacho na malandragem de Brasília.

Na América Latina há uma tradição de respeito para com o rei da Espanha e vice versa. A Espanha sempre comerciou com Cuba, mesmo durante o franquismo.

Uma vez , um ex-presidente me contou que num jantar dessas reuniões ibero-americanas, tava todo mundo meio de porre, quando de repente o rei Juan Carlos bateu na mesa e berrou: “Coño Fidel, que piensas hacer con esta porquería de isla?”

E...Fidel riu amarelo. Esta bronca no Chávez foi ótima para ferir o prestígio desse fascista que se diz a favor do povo. Todos têm agüentado suas grossuras, em nome da diplomacia.

O Lula que é esperto já sacou que alí mora o perigo, e graças a Deus, descobrimos gás que nos deu moral para não precisarmos da flatulência que emana lá do gordo ditador.

E a Venezuela vai seguir a receita do bolo maldito: a economia vai quebrar, vem inflação, desabastecimento, protestos, que já começaram, e finalmente provocações guerreiras para unir as massas, já anunciadas contra a guiana.

O cala a boca do rei é bom também para dar um toque nos intelectuais otários da Europa e daqui que acham que Chávez é "de esquerda".

Pena que não haja um rei português para dar um esculacho na malandragem de Brasília.
Postado por Fred Guilhon Marcadores:

0 comentários: