quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Terremoto que atingiu o Chile pôde ser sentido em São Paulo


Um forte terremoto atingiu nesta quarta-feira (14) uma extensa região do Chile, da fronteira com o Peru até Valparaíso, no centro do país. Ainda não há informações sobre vítimas.

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o tremor teve intensidade de 7,7 graus na escala Richter e ocorreu a 60 Km de profundidade.

Estradas foram danificadas e houve interrupções no serviço telefônico e elétrico em algumas localidades do norte do país, segundo os primeiros relatórios do Escritório Nacional de Emergência.

Em São Paulo no edifício Silver Tower, na Alameda Campinas, onde trabalham 250 funcionários, todos foram orientados a abandonar o prédio.

Fachada do edifício Silver Tower, na Alameda Campinas

“Sentimos persianas e cadeiras balançarem e ficamos preocupados, pois não estamos acostumados com este tipo de incidente no Brasil”, diz Cláudio Iwakura, diretor técnico da empresa Evonik, que ocupa nove dos 15 andares do prédio. Segundo ele, foram dois tremores consecutivos que duraram frações de segundos.

De acordo com Wagner Freitas, responsável pela área de segurança do prédio, o incidente ocorreu por volta das 13h45. Foi quando a Defesa Civil foi avisada e informou à brigada do prédio que o abalo seria reflexo de um forte terremoto que atingiu uma extensa região do Chile, da fronteira com o Peru até Valparaíso, no centro do país. Segundo o Centro Geológico americano, o tremor teve intensidade de 7,7 graus.

“A primeira sensação foi de impacto. Senti meu corpo balançar; parecia uma sensação de labirintite. Não conseguia nem escrever”, conta Freitas.

O topo do edifício abriga o Consulado Geral da Nova Zelândia, onde o expediente é das 9h às 12h. Por este motivo, no momento do incidente não havia funcionários no andar.

Nenhum comentário:


Um forte terremoto atingiu nesta quarta-feira (14) uma extensa região do Chile, da fronteira com o Peru até Valparaíso, no centro do país. Ainda não há informações sobre vítimas.

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o tremor teve intensidade de 7,7 graus na escala Richter e ocorreu a 60 Km de profundidade.

Estradas foram danificadas e houve interrupções no serviço telefônico e elétrico em algumas localidades do norte do país, segundo os primeiros relatórios do Escritório Nacional de Emergência.

Em São Paulo no edifício Silver Tower, na Alameda Campinas, onde trabalham 250 funcionários, todos foram orientados a abandonar o prédio.

Fachada do edifício Silver Tower, na Alameda Campinas

“Sentimos persianas e cadeiras balançarem e ficamos preocupados, pois não estamos acostumados com este tipo de incidente no Brasil”, diz Cláudio Iwakura, diretor técnico da empresa Evonik, que ocupa nove dos 15 andares do prédio. Segundo ele, foram dois tremores consecutivos que duraram frações de segundos.

De acordo com Wagner Freitas, responsável pela área de segurança do prédio, o incidente ocorreu por volta das 13h45. Foi quando a Defesa Civil foi avisada e informou à brigada do prédio que o abalo seria reflexo de um forte terremoto que atingiu uma extensa região do Chile, da fronteira com o Peru até Valparaíso, no centro do país. Segundo o Centro Geológico americano, o tremor teve intensidade de 7,7 graus.

“A primeira sensação foi de impacto. Senti meu corpo balançar; parecia uma sensação de labirintite. Não conseguia nem escrever”, conta Freitas.

O topo do edifício abriga o Consulado Geral da Nova Zelândia, onde o expediente é das 9h às 12h. Por este motivo, no momento do incidente não havia funcionários no andar.
Postado por Fred Guilhon Marcadores:

0 comentários: