segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Presidente do Equador reclama de revista em aeroporto de Miami


O presidente do Equador, Rafael Correa, vai expressar seu "descontentamento" aos Estados Unidos por um incidente ocorrido no aeroporto de Miami, quando seguia para Riad onde participou da cúpula da Opep. A informação foi dada pela secretária de Comunicação, Julia Ortega, no domingo (18).

A funcionária, que acompanhou o presidente neste giro que também inclui China e Indonésia, disse a um jornal de Quito que o presidente expressará seu descontentamento com o tratamento que recebeu no aeroporto de Miami para a embaixatriz americana em Quito, Linda Jewell.

Na ocasião, na última quinta-feira (15), Correa teria sido tratado pelo serviço de migração, igual a um cidadão comum e, como tal, teria sido submetido a uma revista. O presidente equatoriano é aliado do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, nas críticas a Washington.

De acordo com Julia Ortega, o chefe de Estado manifestou que Equador se reserva ao direito de fazer o mesmo com as autoridades americanas que estiverem de visita a seu país. O presidente teria dito ainda que, a partir de agora, evitaria fazer escalas nos Estados Unidos.

Nenhuma autoridade americana ou do aeroporto comentou o caso.

Nenhum comentário:


O presidente do Equador, Rafael Correa, vai expressar seu "descontentamento" aos Estados Unidos por um incidente ocorrido no aeroporto de Miami, quando seguia para Riad onde participou da cúpula da Opep. A informação foi dada pela secretária de Comunicação, Julia Ortega, no domingo (18).

A funcionária, que acompanhou o presidente neste giro que também inclui China e Indonésia, disse a um jornal de Quito que o presidente expressará seu descontentamento com o tratamento que recebeu no aeroporto de Miami para a embaixatriz americana em Quito, Linda Jewell.

Na ocasião, na última quinta-feira (15), Correa teria sido tratado pelo serviço de migração, igual a um cidadão comum e, como tal, teria sido submetido a uma revista. O presidente equatoriano é aliado do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, nas críticas a Washington.

De acordo com Julia Ortega, o chefe de Estado manifestou que Equador se reserva ao direito de fazer o mesmo com as autoridades americanas que estiverem de visita a seu país. O presidente teria dito ainda que, a partir de agora, evitaria fazer escalas nos Estados Unidos.

Nenhuma autoridade americana ou do aeroporto comentou o caso.
Postado por Fred Guilhon Marcadores:

0 comentários: