segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Jornal inglês dá destaque a ‘Tropa de elite’ e afirma que o Rio é a capital do Brasil


O site do jornal inglês “Guardian” traz, nesta segunda-feira (24), uma reportagem sobre o filme “Tropa de elite”. O texto destaca as cenas de violência do filme, passado no Rio de Janeiro, “uma cidade cada vez mais violenta”. “Tiroteios, execuções sumárias, sessões de tortura e corpos incinerados dentro de pneus”, descreve.

Enquanto relata a polêmica que o filme vem causando no país e do que se trata o roteiro, a reportagem cita o Rio de Janeiro como a capital do Brasil. “Baseado no cotidiano de forças táticas que operam na capital do Brasil, o filme já pode ser considerado um dos mais controversos da história do país”, afirma o jornal.

A pirataria também virou assunto da reportagem, assim como a repercussão negativa do longa entre os policiais. “Dezenas de milhares de cópias piratas foram distribuídas por vendedores ambulantes, enquanto um grupo de policiais tentou banir o filme dos cinemas.”

E o texto continua, com a visão do governador Sérgio Cabral, que “descreveu o filme como ‘um excelente trabalho de cinema’ e disse que ele era ‘fiel em revelar os sérios problemas que nós enfrentamos na segurança pública’”.

Nenhum comentário:


O site do jornal inglês “Guardian” traz, nesta segunda-feira (24), uma reportagem sobre o filme “Tropa de elite”. O texto destaca as cenas de violência do filme, passado no Rio de Janeiro, “uma cidade cada vez mais violenta”. “Tiroteios, execuções sumárias, sessões de tortura e corpos incinerados dentro de pneus”, descreve.

Enquanto relata a polêmica que o filme vem causando no país e do que se trata o roteiro, a reportagem cita o Rio de Janeiro como a capital do Brasil. “Baseado no cotidiano de forças táticas que operam na capital do Brasil, o filme já pode ser considerado um dos mais controversos da história do país”, afirma o jornal.

A pirataria também virou assunto da reportagem, assim como a repercussão negativa do longa entre os policiais. “Dezenas de milhares de cópias piratas foram distribuídas por vendedores ambulantes, enquanto um grupo de policiais tentou banir o filme dos cinemas.”

E o texto continua, com a visão do governador Sérgio Cabral, que “descreveu o filme como ‘um excelente trabalho de cinema’ e disse que ele era ‘fiel em revelar os sérios problemas que nós enfrentamos na segurança pública’”.
Postado por Fred Guilhon Marcadores:

0 comentários: