quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Sandero é 1º mundial da Renault feito inicialmente no Brasil




O presidente mundial da Renault, Carlos Ghosn, surpreendeu o mercado ao anunciar durante o Salão de Frankfurt, que acontece na Alemanha, o lançamento mundial do Sandero, que será produzido inicialmente apenas na fábrica de São José dos Pinhais (PR). É a primeira vez que um automóvel da marca será feito inicialmente fora das bases da empresa na Europa.

Também foi o primeiro lançamento internacional de um modelo flex, que roda com gasolina ou álcool. O desenvolvimento do hatch compacto (sem traseira estendida) ocorreu na matriz da empresa, na França, com a participação de engenheiros brasileiros. As vendas começam em dezembro e deve custar entre R$ 31 mil e R$ 37 mil. A apresentação do Sandero foi feita a um grupo de mais de 450 jornalistas de vários países e analistas financeiros. “O carro foi concebido para as necessidades dos clientes da América do Sul”, disse. A partir de 2008, o veículo também será produzido na Europa, com a marca Dacia, em algum país do leste. Outros países emergentes também são cotados.

O Sandero será produzido na mesma plataforma do Logan, lançado em julho e responsável, no mês passado, pela volta da marca ao quinto lugar no ranking de vendas no País, após amargar longo período na oitava posição. O modelo vendeu 2,1 mil unidades em um mês e, segundo concessionários, há fila de espera de até quatro meses.

“A Renault do Brasil teve crescimento de 44% nas vendas este ano, contra um mercado que cresceu 27%”, afirmou Ghosn, que admitiu que, até agora, o grupo tinha uma percepção limitada do mercado do Brasil. A fábrica do Paraná, lembrou, estava ociosa e agora começa a ampliar sua capacidade, com o Logan e o Sandero, além do Scénic e do Mégane. A produção do Clio foi para a Argentina.

Inicialmente, o mercado brasileiro esperava que o Sandero fosse mais barato que o Clio, que custa a partir de R$ 25 mil. Depois, que seria um intermediário entre o Clio e o Logan , mas é possível que custe mais caro que a versão básica do Logan , vendida a R$ 27.990. Seus principais concorrentes no mercado serão o Volkswagen Fox, que custa a partir de R$ 31 mil, e o Fiat Punto, vendido a partir de R$ 37 mil.

Ghosn disse que o conceito de carro de baixo custo ainda está em desenvolvimento. “O desafio não é ter um carro barato, mas ter um carro barato e com rentabilidade.” Ghosn estuda uma parceria com a empresa indiana Bajaj para desenvolver um modelo na faixa de US$ 3 mil, sem previsão de data para chegar ao mercado.

O executivo afirmou que outros carros baratos deverão fazer parte da linha de produtos. No Brasil, onde a marca esteve em situação difícil, a previsão é vender 73 mil veículos este ano, 40% a mais que em 2006, 93 mil em 2008, e 106 mil em 2009. Nesse período, a fábrica do Paraná receberá US$ 360 milhões em investimentos.

Fornecedores não estão conseguindo cumprir prazos de entrega. Por conta da demanda aquecida, a Renault teve de suspender os anúncios do Logan na TV e jornais.

FICHA TÉCNICA

Motor: 1.6/8V
Potência: 95 cv (álcool)/92 cv (gasolina)
Porta-Malas: 320 litros
Preço: Entre R$ 31 mil a R$ 37 mil

Nenhum comentário:




O presidente mundial da Renault, Carlos Ghosn, surpreendeu o mercado ao anunciar durante o Salão de Frankfurt, que acontece na Alemanha, o lançamento mundial do Sandero, que será produzido inicialmente apenas na fábrica de São José dos Pinhais (PR). É a primeira vez que um automóvel da marca será feito inicialmente fora das bases da empresa na Europa.

Também foi o primeiro lançamento internacional de um modelo flex, que roda com gasolina ou álcool. O desenvolvimento do hatch compacto (sem traseira estendida) ocorreu na matriz da empresa, na França, com a participação de engenheiros brasileiros. As vendas começam em dezembro e deve custar entre R$ 31 mil e R$ 37 mil. A apresentação do Sandero foi feita a um grupo de mais de 450 jornalistas de vários países e analistas financeiros. “O carro foi concebido para as necessidades dos clientes da América do Sul”, disse. A partir de 2008, o veículo também será produzido na Europa, com a marca Dacia, em algum país do leste. Outros países emergentes também são cotados.

O Sandero será produzido na mesma plataforma do Logan, lançado em julho e responsável, no mês passado, pela volta da marca ao quinto lugar no ranking de vendas no País, após amargar longo período na oitava posição. O modelo vendeu 2,1 mil unidades em um mês e, segundo concessionários, há fila de espera de até quatro meses.

“A Renault do Brasil teve crescimento de 44% nas vendas este ano, contra um mercado que cresceu 27%”, afirmou Ghosn, que admitiu que, até agora, o grupo tinha uma percepção limitada do mercado do Brasil. A fábrica do Paraná, lembrou, estava ociosa e agora começa a ampliar sua capacidade, com o Logan e o Sandero, além do Scénic e do Mégane. A produção do Clio foi para a Argentina.

Inicialmente, o mercado brasileiro esperava que o Sandero fosse mais barato que o Clio, que custa a partir de R$ 25 mil. Depois, que seria um intermediário entre o Clio e o Logan , mas é possível que custe mais caro que a versão básica do Logan , vendida a R$ 27.990. Seus principais concorrentes no mercado serão o Volkswagen Fox, que custa a partir de R$ 31 mil, e o Fiat Punto, vendido a partir de R$ 37 mil.

Ghosn disse que o conceito de carro de baixo custo ainda está em desenvolvimento. “O desafio não é ter um carro barato, mas ter um carro barato e com rentabilidade.” Ghosn estuda uma parceria com a empresa indiana Bajaj para desenvolver um modelo na faixa de US$ 3 mil, sem previsão de data para chegar ao mercado.

O executivo afirmou que outros carros baratos deverão fazer parte da linha de produtos. No Brasil, onde a marca esteve em situação difícil, a previsão é vender 73 mil veículos este ano, 40% a mais que em 2006, 93 mil em 2008, e 106 mil em 2009. Nesse período, a fábrica do Paraná receberá US$ 360 milhões em investimentos.

Fornecedores não estão conseguindo cumprir prazos de entrega. Por conta da demanda aquecida, a Renault teve de suspender os anúncios do Logan na TV e jornais.

FICHA TÉCNICA

Motor: 1.6/8V
Potência: 95 cv (álcool)/92 cv (gasolina)
Porta-Malas: 320 litros
Preço: Entre R$ 31 mil a R$ 37 mil
Postado por Fred Guilhon Marcadores: ,

0 comentários: